quinta-feira, 12 de maio de 2016

ESTUDO 48 LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA CARIDADE E RIQUEZA



Livro: Palavras de Vida Eterna

Francisco Cândido Xavier pelo Espírito Emmanuel

- ESTUDO 48


  
Caridade e Riqueza

"Pois somos a feitura dele, criados em Jesus Cristo para boas obras."- Paulo (EFÉSIOS, 2:10)

As boas obras da caridade vêm naturalmente de conformidade com a fé, a confiança e são espontâneas, pois, conforme disse Tiago a fé sem obras é estéril, morta em si mesma.

"Porque somos feitura Sua, criados em Jesus Cristo para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas", escreveu Paulo aos efésios, para que compreendessem que as boas obras são condição inalienável para quem quer seguir Jesus, é o bem surgindo espontaneamente em nós, que somos "feitura Sua", quando atingirmos a perfeição do Espírito.

Hoje, ainda, muitas pessoas têm visão limitada sobre o que é caridade. Acreditam que ser caridoso é simplesmente distribuir bens materiais.

A Doutrina Espírita ensina que existem outras formas pelas quais se pode exercer a caridade, independente dos cuidados que se tem com aqueles que estão em dificuldade financeira.

A caridade material pode ser aplicada a certo número de pessoas sob a forma de socorro, amparo, etc.

A caridade moral abrange a todas as pessoas que de alguma forma convivem conosco. Não consiste em esmolas, porém, numa benevolência que deve envolver todas as criaturas, tanto o rico como o pobre, o intelectual como o ignorante, e para exercer essa caridade não há necessidade de riqueza material, mas, da única riqueza que não oferece perigos, é a riqueza espiritual, os tesouros morais que o homem venha a adquirir.

É a riqueza que se traduz na posse dos sentimentos elevados, da qual o maior exemplo que a Terra conhece é Jesus, que sem possuir nenhum bem material foi quem mais fez pelos semelhantes, quem mais espalhou o bem com os bens sublimes do Espírito. Deu assistência aos enfermos, encorajou os desalentados, consolou os aflitos, etc.

No entanto, a riqueza material não pode ser considerada uma coisa ruim, porque em si mesma ela é neutra, o uso que se faz dela é que vai determinar a sua utilidade boa ou não.

Todas as pessoas, independente da situação financeira, podem distribuir da riqueza interior que já conquistou, sendo tolerante, compreensivo, etc.

A Doutrina Espírita, embora estabelecendo a necessidade de o homem promover e praticar a caridade material, necessária e de grande significado defende, também, e especialmente, pela caridade moral, a que exige melhores condições do Espírito, portanto, mais importante, quando conclama aquele que a pratica à própria elevação com que se sublima e edifica interiormente.

  
Maria Aparecida Ferreira Lovo
Julho / 2005

EFÉSIOS 2
10 Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas.


Centro Espírita Batuira

cebatuira@cebatuira.org.br
Ribeirão Preto (SP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário