sexta-feira, 31 de agosto de 2012

“COISAS DE HOMEM”


Oba! Vou aprender a fazer “coisas de homem”! 
Esta foi a reação de um dos alunos ao ver a caixa de ferramentas, que utilizou na nova atividade da Escola.
Ao iniciar a adolescência, é natural que os jovens aprendam, com seus pais ou responsáveis, algumas das habilidades necessárias para a sua própria manutenção como: cozinhar, limpar a casa, limpar a roupa, etc.
No caso dos meninos, que serão futuros chefes de família, os pais também ensinam alguns rudimentos de manutenção que lhes serão úteis, como: trocar lâmpada, pendurar um quadro, apertar um parafuso, etc.
São exercícios da vida adulta que exigem cuidado e acompanhamento. 
No caso dos surdos, devido à dificuldade de comunicação, muitas famílias – pela ausência da figura masculina ou por não saberem como conversar com seus filhos e com medo de eles se machucarem ou estragarem alguma coisa – acabam por não lhes ensinar estes conhecimentos práticos, sem perceber que estão prejudicando sua futura autonomia.
A Escola, ao detectar esta realidade, montou o projeto Vida Independente para os meninos, com o objetivo de auxiliar os alunos surdos e suas famílias na superação desta lacuna – e tem sido um sucesso!
Com a autorização dos pais, uma vez por semana, os alunos mais velhos participam de aulas individuais, com duração de 15 a 20 minutos, onde têm a oportunidade de vivenciar um momento “pai e filho”.
Os jovens podem saciar as suas curiosidades de mexer nas ferramentas – com a devida disciplina. Descobrem como elas funcionam e para o quê elas servem.
O responsável por esta disciplina e por este momento de vivência com eles é o companheiro desta Casa, o senhor José Abreu, de todos nós conhecido por Zeca.
Aprender o nome e a utilidade das ferramentas é fácil, o duro mesmo é conseguir martelar o prego, sem acertar o dedo!

Cibele – Diretora Pedagógica

Correio da Fraternidade
ANO 21 – nº 250- Abril de 2010 Distribuição Gratuita
Grupo Espírita “Irmão Vicente”
O Grupo Espírita “Irmão Vicente”, abreviadamente GEIV, foi fundado em 1º de janeiro de 1962, como Associação religiosa e filantrópica, de duração ilimitada e com fins não econômicos, com sede e foro na cidade de Campinas, estado de São Paulo.
http://www.annesullivan.com.br/mantenedora.html

NA INTIMIDADE DO SER


De fato, os conhecimentos sobre a vida do espírito têm-se imposto aos raciocínios e as mensagens do Evangelho, à luz de tais conhecimentos, tornaram-se mais claras ao entendimento de todos. No entanto, na advertência de Paulo, de aproximadamente 2000 anos atrás, fica evidente que acumular conhecimentos sobre a Vida e as Leis que a regem, como se tem feito ao longo da existência humana, é insuficiente.

Vós, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, revesti-vos de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade” – PAULO (Colossenses, 3:2.)

Indubitavelmente, não basta apreciar os sentimentos sublimes que o Cristianismo inspira.

É indispensável revestirmo-nos deles.

O apóstolo não se refere a raciocínios.

Fala de profundidades.

O problema não é de pura celebração.

É de intimidade do ser.

Alguém que possua roteiro certo do caminho a seguir, entre multidões que o desconhecem, é naturalmente eleito para administrar a orientação.

Detendo tão copiosa bagagem de conhecimento, acerca da eternidade, o cristão legítimo é pessoa indicada a proteger os interesses espirituais de seus irmãos na jornada evolutiva; no entanto, é preciso encarecer o testemunho, que não se limita à fraseologia brilhante.

Imprescindível é que estejamos revestidos de “entranhas de misericórdia” para enfrentarmos, com êxito, os perigos crescentes do caminho.

O mal, para ceder terreno, compreende apenas a linguagem do verdadeiro bem; o orgulho, a fim de renunciar aos seus propósitos infelizes, não entende senão a humildade. Sem espírito fraternal, é impossível quebrar o escuro estilete do egoísmo.

É necessário dilatar sempre as reservas de sentimento superior, de modo a avançarmos, vitoriosamente, na senda da ascensão.

Os espiritistas sinceros encontrarão luminoso estímulo nas palavras de Paulo.
Alguns companheiros por certo observarão em nossa lembrança mero problema de fé religiosa, segundo o seu modo de entender; todavia, entre fazer psiquismo por alguns dias e solucionar questões para a vida eterna, há sempre considerável diferença.

Vinha de Luz – Emmanuel, psic. Francisco C. Xavier - lição 89


(Compilado por Débora)

Correio da Fraternidade
ANO 21 – nº 250- Abril de 2010 Distribuição Gratuita
Grupo Espírita “Irmão Vicente”
O Grupo Espírita “Irmão Vicente”, abreviadamente GEIV, foi fundado em 1º de janeiro de 1962, como Associação religiosa e filantrópica, de duração ilimitada e com fins não econômicos, com sede e foro na cidade de Campinas, estado de São Paulo.
http://www.annesullivan.com.br/mantenedora.html

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

COMO SOFRES?

Não há ser encarnado na Terra isento de passar por sofrimentos, posto serem essas experiências que nos facultam o aprimoramento moral. O Apóstolo Pedro, em epístola dirigida aos cristãos das regiões de Bitínia, Capadócia, Galácia e Ponto (atualmente localizadas na região da Turquia), alerta para os sofrimentos que nos auto-infligimos, sem proveito algum, em virtude de sentirmo-nos contrariados diante das tribulações.
Mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antesglorifique a Deus nesta parte. - PEDRO. (I Pedro, 4:16.)
Não basta sofrer simplesmente para ascender à glória espiritual. Indispensável é saber sofrer, extraindo as bênçãos de luz que a dor oferece ao coração sequioso de paz.

Muita gente padece, mas quantas criaturas se complicam, angustiadamente, por não saberem aproveitar as provas retificadoras e santificantes?

Vemos os que recebem a calúnia, transmitindo-a aos vizinhos; os que são atormentados por acusações, arrastando companheiros às
perturbações que os assaltam; e os que pretendem eliminar enfermidades reparadoras, com a desesperação.

Quantos corações se transformam em poços envenenados de ódio e amargura, porque pequenos sofrimentos lhes invadiram o círculo pessoal? Não são poucos os que batem à porta da desilusão, da descrença, da desconfiança ou da revolta injustificáveis, em razão de alguns caprichos desatendidos.

Seria útil sofrer com a volúpia de estender o sofrimento aos outros? não será agravar a dívida o ato de agressão ao credor, somente porque resolveu ele chamar-nos a contas?

Raros homens aprendem a encontrar o proveito das tribulações. A maioria menospreza a oportunidade de edificação e, sobretudo, agrava os próprios débitos, confundindo o próximo e precipitando companheiros em zonas perturbadas do caminho evolutivo.

Todas as criaturas sofrem no cadinho das experiências necessárias, mas bem poucos espíritos sabem padecer como cristãos, glorificando a Deus.
Vinha de luz – Emmanuel psic. Francisco C. Xavier - lição 80


(Compilado por Débora)


Correio da Fraternidade
ANO 20 – nº 238- Abril de 2009 Distribuição Gratuita
Grupo Espírita “Irmão Vicente”
Campinas, estado de São Paulo.
http://www.annesullivan.com.br/mantenedora.html

Nos tempos atuais,

diante do materialismo desenfreado que assola a humanidade, os pais perguntam-se como incutir nos filhos os conceitos de moral; como mostrar a estes espíritos, que estão encarnados sob sua responsabilidade, o valor da vida espiritual.

Quem dá a resposta é o médium mineiro Chico Xavier quando pergunta similar lhe foi feita:

Se o senhor tivesse que dar uma mensagem a uma criança, ou mesmo a um filho, para que ele pudesse vencer espiritualmente na
vida, o que diria?

Resposta – Se eu tivesse um filho (tive na minha vida algumas crianças que cresceram sob minha responsabilidade), ensinaria nos primeiros dias de vida desse filho o respeito à existência de Deus e o respeito à justiça e amor ao trabalho. E, em seguida, ensinaria que ele não seria, e não será, melhor do que os filhos dos outros. 1

Sheila 
 
1 Chico - Mandato de Amor – cap. IV

Correio da Fraternidade
ANO 20 – nº 238- Abril de 2009 Distribuição Gratuita
Grupo Espírita “Irmão Vicente”
O Grupo Espírita “Irmão Vicente”, abreviadamente GEIV, foi fundado em 1º de janeiro de 1962, como Associação religiosa e filantrópica, de duração ilimitada e com fins não econômicos, com sede e foro na cidade de Campinas, estado de São Paulo.
http://www.annesullivan.com.br/mantenedora.html

PREOCUPAÇÃO DE ONTEM QUE CONTINUA ATUAL


Consta nos arquivos da Biblioteca “Irmão Clarêncio” um acervo de artigos, provenientes de diversos periódicos, os quais foram trabalhados junto às famílias frequentadoras das atividades de manutenção do Grupo Espírita “Irmão Vicente” e Escola de Educação Especial “Anne Sullivan”.
Dois desses artigos, ambos publicados em 1998, alertam sobre o perigo que representa a programação televisiva.
O artigo “O controle da Televisão”, publicado no Jornal da Tarde em 07/05/1998, denuncia a TV como“traficante da moral”, pois o conteúdo que oferece aos telespectadores, tão temível quanto qualquer entorpecente, provoca uma submissão psíquica nas pessoas, “incentivando maus costumes, destruindo famílias, privilegiando a malandragem, o adultério, a libertinagem, as drogas, as rupturas institucionais, com leque de alternativas, todas elas corrosivas, para que a sociedade perca sua dignidade e a aprenda a se transformar numa comunidade sala frária”.
O texto “Desenho desanimado”, assinado por Gilberto Dimenstein, de 26/10/1998, divulga os dados de pesquisas realizadas pela ONU e pela Universidade Federal do Paraná, a respeito dos variados tipos de violência que são destilados às crianças através de desenhos animados e a influência desses sobre o comportamento das mesmas. De acordo com a pesquisa há uma média de vinte cenas de violência, por hora, de desenho.
         O Correio Popular de 5 de abril 2009 , noticiou a respeito de um novo jogo de computador, que pode ser acessado pela internet ou comprado no comércio de Campinas, cujo objetivo do protagonista é um ato de violência sexual.
Tais artigos, apesar de contarem mais de uma década, continuam atuais. No entanto, além da televisão, há outros meios de comunicação aos quais as crianças tem acesso
 indiscriminadamente. 
Diante da realidade em que vivemos a solução certamente não é nos isolarmos em algum país distante, a pretexto de mantermos a nossa família a salvo desse tipo de cultura perniciosa.
O problema não está na tecnologia, mas no uso que dela fazemos.
Esses dados que chocam são reflexo dos espíritos que se encontram encarnados na Terra, entre os quais estamos nós. Isto é, não somos vítimas.
Cabe a nós, forrarmos os nossos íntimos com as lições do Evangelho e transmitir tais lições àqueles cuja educação está sob a nossa responsabilidade.
O bom senso nos diz que tal tipo de programação deve ser abolida dos nossos lares. Mas isso não é o suficiente.
A compreensão do Evangelho se faz necessária para que na vida em sociedade, em que somos expostos a todo tipo de informação, sejamos capazes de reconhecer e selecionar os padrões morais que devemos tomar por modelo e aqueles que não nos servem!
Débora

Correio da Fraternidade
ANO 20 – nº 238- Abril de 2009 Distribuição Gratuita
Grupo Espírita “Irmão Vicente”
O Grupo Espírita “Irmão Vicente”,abreviadamente GEIV, foi fundado em 1º de janeiro de 1962, como Associação religiosa e filantrópica, de duração ilimitada e com fins não econômicos, com sede e foro na cidade de Campinas, estado de São Paulo.
http://www.annesullivan.com.br/mantenedora.html

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

NÃO BASTA FREQUENTAR O CENTRO ESPÍRITA


Nos dias de hoje, apesar da vasta literatura espírita disponível, que veio abrir de modo mais detalhado as Obras Básicas, principalmente os livros psicografados por médiuns do quilate de um Francisco Cândido Xavier, muitos espíritas ainda sob a influência de velhos hábitos religiosos, pensam que basta frequentar o Centro Espírita em dias determinados para estarem ‘quites com Deus.’ Mas estão enganados. 

Por isso, afirma o Mentor Emmanuel: 

“Numerosos companheiros estão convencidos de que integrar uma equipe de ação espírita se resume em presenciar os atos rotineiros da instituição a que se vinculam e a resgatar singelas obrigações de feição econômica. 

Mas não é assim. O espírita, no conjunto das realizações espíritas, é uma engrenagem inteligente com dever de funcionar em sintonia com os elevados objetivos da máquina.

Um templo espírita não é simples construção de natureza material. É um ponto do Planeta onde a fé raciocinada estuda as leis universais, mormente no que se reporta à consciência e à justiça, à edificação do destino e à imortalidade do ser. Lar de esclarecimento e consolo, renovação e solidariedade, em cujo equilíbrio cada coração que lhe compõe a estrutura moral se assemelha a peça viva de amor na sustentação da obra em si.

Não bastará frequentar-lhe as reuniões. É preciso auscultar as necessidades dessas mesmas reuniões, oferecendo-lhes solução. Respeitar a orientação da casa, mas também contribuir, de maneira espontânea, com os dirigentes, na extinção de censuras e rixas, perturbações e dificuldades, tanto quanto possível no nascedouro, a fim de que não se convertam em motivos de escândalo.”1

Pedro Abreu 

1  Educandário de Luz – Emmanuel psic. Francisco C. Xavier – lição   16


Correio da Fraternidade
ANO 20 – nº 238- Abril de 2009 Distribuição Gratuita
Grupo Espírita “Irmão Vicente”
O Grupo Espírita “Irmão Vicente”, abreviadamente GEIV, foi fundado em 1º de janeiro de 1962, como Associação religiosa e filantrópica, de duração ilimitada e com fins não econômicos, com sede e foro na cidade de Campinas, estado de São Paulo.
http://www.annesullivan.com.br/mantenedora.html

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

TRABALHO RENOVADOR


Vinde a mim, vós que sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio aos vossos ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que daí não viesse dano para a obra! 1
Hoje, situamo-nos encarnados nao planeta Terra, hospital-escola de milhões de espíritos em evolução, que se encontram nos mais diversos estágios de progresso, com diferentes níveis de moral e de intelectualidade. No entanto, em toda esta diversidade que se estende de norte a sul e leste a oeste do globo, entre encarnados e desencarnados, existe um ponto comum que nos iguala a todos: somos espíritos eternos, criados simples e ignorantes, dotados do atributo da inteligência; e a nos guiar existe uma constante da Lei Divina: todos estamos destinados à perfeição.
Assim sendo, somos espíritos que fazem parte da obra sublime da Criação, mas cada qual trilha seu caminho de acordo com as opções que realiza, através do uso do inalienável direito do livre-arbítrio que torna o espírito livre para escolher e responsável pela conseqüência de tais escolhas.
Neste ponto o prezado leitor já deve estar indagando o porquê da citação do Evangelho realizada na introdução deste texto.
Reflitamos!
Como espíritos encarnados, fazemos parte de inúmeras obras, a começar da obra do Lar – o cadinho sublime onde se aparam arestas e reconstroem-se laços de estima e confiança que até então se encontravam destruídos. Mais adiante, nos enfileiramos também na obra do Grupo Espírita – onde além de aprendermos o Evangelho do Mestre ainda encontramos uma oficina de trabalhos na qual somos convidados a colocar em prática as lições aprendidas.
E como citado no início do texto, fazemos parte do Planeta Terra que tem, como destino, a sua progressão contínua na escala dos mundos, e, mais precisamente nos tempos atuais, destina-se a sair do status de planeta de provas e expiações, para um planeta de regeneração. Deste modo, somos igualmente parte integrante desta obra, desta seara de guindarmos o nosso planeta a uma nova escala de progresso.
Seja qual for a obra, temos um papel a desempenhar dentro dela...
Mas não nos iludamos, não é necessário se tornar herói, não é preciso ser mártir, ou mesmo ir a público falar do Evangelho de Jesus. A missão de cada um de nós é bem mais simples: solicita-se que sejamos bons servidores, que não tragamos dano ao trabalho!...
Solicita-se que independente do estágio de evolução em que nos encontremos, não percamos mais tempo em devaneios tolos ou elucubrações fúteis, a hora aprazada para a renovação de nossos sentimentos, para deixarmos de valorizar as conquistas da matéria e buscarmos o progresso do espírito, já se fez soar. É necessário tenhamos passos céleres para ombrearmo-nos nesta jornada com aqueles que caminham à nossa frente, que já entendem que a obra não pode parar, e, cientes disto, trabalham sem cessar para que a seara não seja prejudicada. Assim sendo, para acompanhar tais irmãos, é imprescindível sejamos humildes, reconheçamo-nos aprendizes do Evangelho, e, acima de tudo, tenhamos íntimos abertos e boa vontade para a prática inadiável da caridade.
O convite do trabalho está feito, mas para sermos bons servidores, devemos apresentarmo-nos conscientes ainda, de que o trabalho exigirá de nós muita renúncia e perseverança, que estejamos dispostos a não cultivar sentimentos de ciúme, inveja, orgulho, egoísmo; que tenhamos comprometimento e responsabilidade para evitarmos discórdias e desavenças, sentimentos estes que minam as raízes de fraternidade e harmonia de qualquer obra. 
Assim compreendendo que no cumprimento do ideal cristão, seja no lar, no Centro Espírita, ou em qualquer parte da sociedade terrena, acima de qualquer interesse pessoal, nos esforcemos por fazer parte dele, pois além de proporcionar o bem comum, promove e estimula o progresso de cada um.

1 - O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec –cap. XX, item
  Sheila

Correio da Fraternidade
ANO 20 – nº 238- Abril de 2009 Distribuição Gratuita
Grupo Espírita “Irmão Vicente”
O Grupo Espírita “Irmão Vicente”, abreviadamente GEIV, foi fundado em 1º de janeiro de 1962, como Associação religiosa e filantrópica, de duração ilimitada e com fins não econômicos, com sede e foro na cidade de Campinas, estado de São Paulo.
http://www.annesullivan.com.br/mantenedora.html