segunda-feira, 23 de maio de 2016

Obesidade Mórbida na Visão Espírita

Obesidade Mórbida na Visão Espírita


Nosso psiquismo formou-se em milhões de anos. Como dizem os espíritos, nossa história vem desde o átomo e irá até o arcanjo. A obesidade mórbida, desta encarnação, está espelhando um desajuste nosso nas estruturas mais profundas de nossos corpos energéticos. Este desajuste é drenado, exteriorizado, para o organismo biológico. Esta exteriorização nada tem com punição, mas consequência natural. Deve ser tratada, corrigida e orientada como qualquer outro problema.

Todas nossas preferências, peculiaridades de comportamento e dificuldades, se estruturam nas experiências desta vida e das inúmeras vidas anteriores. E isto também serve para as dificuldades orgânicas expressivas com as quais, hoje, nos defrontamos.

Durante o período da gravidez, recebemos inúmeros condicionamentos, o mesmo ocorre durante nossa infância e toda nossa formação educacional, vivemos inúmeras situações que acabam potencializando qualidades, ou características que já trazemos de vidas pregressas.

Nosso inconsciente (espírito) registra fatos vivenciados que, conforme a sensibilidade pessoal, isto é, para cada um existe uma forma peculiar de reagir, determinam posturas mais ou menos equilibradas frente a tudo que nos deparamos na vida. Há, então, fatores desencadeantes ou gatilhos, nesta vida atual.

A obesidade mórbida decorre de uma fragilidade do corpo astral, ou seja, o perispírito, que, por uma série de diferentes causas (inúmeras orgias alimentares por exemplo) gerou um desequilíbrio no metabolismo do perispírito.

Este desequilíbrio determina, na moldagem de um novo corpo, pelo comando da genética astral sobre a genética física, uma formação de um organismo com esta tendência, isto é, a proliferação, em excesso, do tecido adiposo.

Recomenda-se buscar psicólogo, médico e tratamento espiritual na casa espírita.

Lembramos, finalmente, que a mudança do padrão de pensamento ocasiona a nova e constante reorganização do corpo astral.

A alegria, a felicidade o otimismo determinam a cura nas causas mais profundas, quer dizer curam a alma.

Autor: Ricardo Bernardi


FRATERLUZ
Fraternidade Espírita Luz do Cristianismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário