segunda-feira, 16 de maio de 2016

ESPERANTO EM MARCHA

Iniciado por Lázaro Luiz Zamenhof há apenas 126 anos, o Esperanto está hoje entre as cem línguas mais utilizadas das 6.800 faladas no mundo. Na Wikipédia, a mais conhecida fonte de conhecimentos da internet, o Esperanto é a 29a língua mais usada, à frente do sueco, do japonês e do latim. Sua presença na internet, aliás, é cada vez mais expressiva: o buscador Google, o mais utilizado em todo o mundo, tem a sua versão em Esperanto; também o Skype, o navegador Firefox, o Ubuntu (sistema operacional baseado em Linux) e o Facebook, a mais popular dentre as redes sociais. O programa de tradução do Google, o “Google Translate”, não faz muito tempo, também inseriu o Esperanto entre suas opções de idiomas – hoje são mais de 60. É possível utilizar o Esperanto ainda em celulares inteligentes, como os que usam o sistema Android.

“O Esperanto é ensinado oficialmente em 150 universidades e outras instituições de ensino superior, e em 600 escolas de ensino fundamental e médio em 28 países” – informa a Associação Universal de Esperanto, na matéria “Números atuais sobre o Esperanto”, divulgada em sua página na internet e que mostra as principais conquistas esperantistas da atualidade.

A reportagem – disponível em http://uea.org/vikio/Unua_komuniko_en_la_portugala  – ressalta o papel cultural do Esperanto, que concentra um vasto acervo literário, com mais de 50 mil títulos originais ou traduzidos, com novos acréscimos semanalmente. Fala do papel do rádio no processo de difusão esperantista, sobretudo com o advento das rádios virtuais, como a “Muzaiko” (http://muzaiko.info), 24 horas no ar.

“O progresso do Esperanto foi barrado por preconceito e desconhecimento dos fatos. Tanto Adolf Hitler como Josef Stalin perseguiram falantes de Esperanto. Ambos desapareceram, assim como seus regimes, enquanto o Esperanto permaneceu, cresceu, evoluiu e é hoje usado vivamente para a comunicação pessoal entre milhares de cidadãos de mais de cem países” – completa o texto, recordando, ainda, que a Associação Universal de Esperanto (www.uea.org) tem relações consultivas com a Unesco, relações oficiais com as Nações Unidas e também com o Conselho da Europa. “O Esperanto permite na comunicação internacional um nível de discussão neutro e justo, um entendimento mútuo, e assim protege o direito das línguas minoritárias e indígenas, tratando todas numa base igualitária e com respeito à diversidade linguística e cultural de seus falantes.”


Apoiado pela Federação Espírita Brasileira, por estarem seus ideais de fraternidade em consonância com os princípios espíritas, o Esperanto pode ser aprendido hoje de forma rápida e gratuita pela internet, em páginas como http://ikurso.net  ou http://lernu.net. Ou em instituições, cujos nomes e endereços podem ser facilmente encontrados numa rápida busca pela WEB.

Um comentário:

  1. A recomendação de Léon Denis:
    http://www.spiritismo.org/leon-denis

    ResponderExcluir