sexta-feira, 13 de maio de 2016

A NOSSA PARTE

 A NOSSA PARTE


A palavra transição significa estado intermediário, passagem de um estado de coisas a outro e ela vem sendo empregada pela espiritualidade para designar a época que estamos vivendo, durante a qual a Terra deixa a condição de mundo de expiação e provas – que tão bem conhecemos – e se encaminha para a de mundo de regeneração, quando a fraternidade e o conhecimento da vida espiritual se generalizarão entre os homens, modificando profundamente nossos padrões de convivência.

Duas obras recentes, “Transição planetária” e “Alvorecer de uma nova era”, ambas de Manoel Philomeno de Miranda, psicografadas por Divaldo Franco, abordam diretamente esse tema, trazendo informações interessantíssimas sobre o que está ocorrendo, entre elas a vinda de numeroso contingente de Espíritos elevados, provenientes de um dos planetas da estrela Alcione, da constelação do Cocheiro, com a finalidade de auxiliar-nos nesta fase tão delicada, pois, já tendo atingido a Humanidade de onde provêm significativo grau de progresso, aqui chegam, sem carmas negativos, a convite de Jesus, para ombrear conosco no enfrentamento e superação de desafios e dificuldades que presentemente nos envolvem.

O mal, expressando afastamento deliberado das Leis Divinas, desaparecerá definitivamente de nosso orbe e, neste momento, os que nele ainda se comprazem, pressentindo a renovação que se avizinha, atiram-se aos excessos da violência e do vício, adotando também ideias e atitudes bizarras, que os meios de comunicação exibem ante a perplexidade e o aturdimento de muitos e o aplauso de alguns...

Ante tal panorama, devemos permanecer atentos e confiantes, jamais esquecendo que “Jesus está no leme”. Os atuais eventos foram por Ele anunciados no Evangelho e, mais recentemente, focalizados com maiores detalhes na Codificação (por exemplo, no capítulo 20 de “O Evangelho segundo o Espiritismo”: “Trabalhadores da última hora”).

A presença desses irmãos mais esclarecidos que continuam a reencarnar entre nós é uma das providências de Jesus para amparar-nos nesta hora de natural turbulência, confirmando sua promessa de que estaria sempre conosco.

E, em meio à desorientação de tantos, qual deve ser a nossa atitude? Que parte – certamente pequena – nos estaria reservada nesse imenso plano de trabalho? A resposta, simples, foi oferecida por Joanna de Ângelis em mensagem que nos transmitiu através de Divaldo Franco (“A grande transição” – revista “Reformador”, de março de 2007): que busquemos alinhar nossas vidas com as Leis Divinas, habilitando-nos a fortalecer a confiança e a esperança onde a dúvida e o desespero tentem se instalar, a paciência, o bom¬-ânimo, a ação construtiva, em suma, a certeza da supremacia do bem.

Em outras palavras, nossa reforma íntima constitui a melhor maneira de cooperarmos com os benfeitores espirituais nesta hora tão grave.



SERVIÇO ESPÍRITA DE INFORMAÇÕES
Boletim SEI: E-mail: boletimsei@gmail.com

Novembro 2013 – no 2230

Nenhum comentário:

Postar um comentário