terça-feira, 24 de maio de 2016

Bons médiuns

Bons médiuns



Médiuns sérios. Os que não se servem de suas 
faculdades senão para o bem e para as 
coisas realmente úteis. Julgariam profanação 
delas se servirem para satisfazer aos curiosos 
e aos indiferentes ou para coisas fúteis.

Médiuns modestos. Os que não se dão 
importância pelas comunicações que recebem,
por mais belas que sejam: sentem-se estranhos a 
elas e não se julgam ao abrigo das mistificações.
Longe de fugir aos conselhos desinteressados, 
eles os procuram.

Médiuns dedicados. Os que compreendem que o 
verdadeiro médium tem uma missão a cumprir e 
deve, quando necessário: sacrificar os seus gostos, 
hábitos, prazeres, tempo e interesse materiais ao 
bem alheio.

Médiuns seguros. Os que, além da facilidade de 
execução merecem a máxima confiança, por seu 
próprio caráter, pela natureza elevada dos 
Espíritos por quem são assistidos e que são 
os menos expostos a ser enganados. Veremos mais 
tarde que tal segurança absolutamente não 
depende dos nomes mais ou menos respeitáveis 
que tomem os Espíritos.


(Allan Kardec)


Nenhum comentário:

Postar um comentário