quinta-feira, 7 de abril de 2016

ESTUDO EVANG[ELICO #42 LIVRO PALAVRAS DE VIDA ETERNA - NO SERVICO MEDIUNICO


ESTUDO EVANGÉLICO

Livro: Palavras de Vida Eterna

Francisco Cândido Xavier pelo Espírito Emmanuel

- ESTUDO 42


"Há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo." - Paulo. (I Coríntios, 12:4.)

No texto em estudo, Emmanuel trata de modo específico da aplicação da faculdade mediúnica, refletindo sobre trechos da primeira epístola de Paulo aos Coríntios.

Convém lembrar que os fenômenos mediúnicos não são exclusivos da Doutrina Espírita e estiveram presentes em todos os tempos no seio de todos os povos. 

A Doutrina Espírita, surgida em meados do século XIX, pesquisou, identificou e organizou as leis que regem o intercâmbio entre Espíritos encarnados e desencarnados, tirando-o do terreno do maravilhoso, do sobrenatural, desmistificando o fenômeno, e estabelecendo a necessidade de sua aplicação no exercício responsável e consciente. 

Conforme esclarece Divaldo Pereira Franco "Até Allan Kardec, a mediunidade estava envolta em vários mitos desde a condição divinatória até as excrescências psicopatológicas da Idade Média, quando os médiuns eram colocados diante das Cortes para servir de instrumento ao ridículo e a posteriori, nas Universidades para análise das psicopatologias que atormentavam a criatura humana e cuja gênese era desconhecida"2.

No entanto, já na época apostólica, explicações muito claras ao redor da mediunidade nos foram oferecidas pelo apóstolo Paulo quando se dirige aos Coríntios dizendo: "Há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo, há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. A manifestação do Espírito, porém, é concedida a cada um para o que for útil, pois que a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria, e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da Ciência; a outro, pelo mesmo Espírito, a fé, e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; a outro, a operação de fenômenos e a outro a profecia; a outro, o dom de discernir os espíritos e a outro a variedade de línguas e, ainda a outro, a interpretação das línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas essas coisas, repartindo particularmente a cada um como lhe apraz"3.

Mediunidade é faculdade humana que se desenvolve naturalmente, ampliando-se naqueles mais sensíveis, e não por imposição ou determinação de palavras de ordem ou rituais. "A Mediunidade, segundo Allan Kardec, é uma certa predisposição orgânica"2, faculdade espiritual que permite o intercâmbio entre o mundo físico e o extrafísico.

A faculdade mediúnica é uma só mas pode expressar-se de formas variadas isto é, pela psicofonia, pela psicografia, pela vidência, pelos fenômenos de cura e outros.

Seja qual for a condição medianímica, a mediunidade é "concedida a cada um para o que for útil"3, isto é, para o que for proveitoso, para o bem, com finalidades superiores. A mediunidade educada e disciplinada no padrão evangélico torna-nos mensageiros do esclarecimento, da informação, do reconforto, do socorro a enfermos, e tantas outras providências bem como através dela podemos recolher o influxo dos benfeitores amigos, auxiliando-nos na caminhada evolutiva. Na mediunidade com Jesus somos sempre os maiores beneficiados, no aprendizado contínuo através das lições de que somos os intermediários, nos dramas, nas dificuldades, nos sofrimentos que testemunhamos na figura de nosso próximo que são lições vivas, convites à reflexão uma vez que retratam as nossas próprias dores e dificuldades.

Estamos em intercâmbio permanente. Influenciamos e somos influenciados mesmo que não tenhamos consciência disso. Por isso Emmanuel insiste na necessidade de evangelização do Espírito, de vigilância constante dos sentimentos, pensamentos e ações e exortando-nos conclui: "Abstenhamo-nos, assim, do contato com as forças que operam a perturbação e a desordem, visíveis ou invisíveis, na certeza de que daremos conta dos dotes mediúnicos com que fomos temporariamente felicitados, porque o Espírito do Senhor, por seus Mensageiros, nos aquinhoa com esse ou aquele empréstimo de energia medianímicas, a título precário, para a nossa própria edificação e segundo as nossas necessidades"3.

Bibliografia:

1. Bighetti, Leda Marques. "Sessão Mediúnica: Mediunidade - Conceito e Função". BELE - Batuíra Editora e Livraria Espírita. Ribeirão Preto, SP. 2004.

2. Franco, Divaldo P. "Mediunidade: A Mediunidade Através da História". Mundo Maior Editora. São Paulo, SP. 1999.

3. Xavier, Francisco Cândido. "Palavras de Vida Eterna: No Serviço Mediúnico". Ditado pelo Espírito Emmanuel. CEC. 17a ed. Uberaba, MG. 1992.

Iracema Linhares Giorgini
Dezembro / 2004

I CORINTIOS 12
4 Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.


CENTRO ESPÍRITA BATUÍRA
cebatuira@cebatuira.org.br  
Ribeirão Preto - SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário