sexta-feira, 29 de abril de 2016

#A FAMILIA E O LAR

A FAMÍLIA E O LAR

Maria Célia Cruz

O que precisamos para c o n s t r u i r uma casa? De pedra, areia, tijolos, ferro, cimento e, então, teremos paredes, chão, teto, telhado, portas, janelas, muro. Tudo tem valor, utilidade e faz falta se não encontrarmos. Além disso, pessoas diversas, profissionais hão de trabalhar na construção.

Uns ficam até o fim, outros não e nos atrasam a obra, mas, enfim, é ela erguida.

E para construirmos um lar?

Também precisamos de uma diversidade de coisas da maior importância: entusiasmo, alegria, fé, confiança em Deus, amor, renúncia, companheirismo, perdão, tolerância, benevolência, otimismo. E aí, também, pessoas diversas participarão dessa empreitada. Ilusão nossa acreditarmos que só o casal constrói seu lar. As famílias de ambos participam, querem colaborar, dar ideias, já que o casal é inexperiente, e aí surgem melindres, discórdias, ingratidão, ressentimentos. Causam brigas, mas depois tudo passa e o lar, enfim, é montado.

Difícil enumerar as alegrias, a felicidade. Mas tristezas também surgem. As dificuldades que mais atrapalham um relacionamento bom são de cunho econômico: mulher que ganha mais do que o marido, desemprego, excesso de trabalho externo, medo de concorrência, faltas em casa.

Surgem desentendimentos que requerem calma para discernir, vontade para superar e amor para iluminar. Isso é viver em comum. Precisa-se dividir experiências, mesmo porque problemas outros vão requerer de nós mais união, mais cumplicidade, mais amor  são os de ordem sentimental, quando nos afetam o coração: perda de entes queridos, infidelidades e outras derrotas, que nos exigem força, determinação e fé, constante confiança em Deus, que sempre nos assiste.

André Luiz nos diz que nas provações e conflitos, no lar terrestre, quase sempre estamos pagando, pelo sistema de prestações, certas dívidas contraídas por atacado.

A mais importante de todas as associações existentes na Terra é a constituição da família, por sua função educadora e regenerativa.

Na ligação de dois seres, respondendo aos vínculos afetivos, surge o lar.

A família evolui incessantemente para mais amplos conceitos de vivência coletiva, para aperfeiçoamento geral, sob a forma de uma valiosa escola da alma.

Temos, então, na nossa família, no nosso lar, uma organização de ordem divina, onde encontraremos os instrumentos necessários ao nosso próprio aperfeiçoamento para a edificação de um mundo melhor.

Por tudo isso, é importante os conhecimentos referentes à reencarnação, nas bases da família, com pleno exercício da lei de amor, nos recessos do lar, para que o lar não se converta, de bendita escola que é, em pouso neurótico, albergando moléstias mentais dificilmente reversíveis.


SERVIÇO ESPÍRITA DE INFORMAÇÕES
Boletim SEI: E-mail: boletimsei@gmail.com
Edição 2249 Junho 2015


Nenhum comentário:

Postar um comentário