segunda-feira, 20 de junho de 2016

ASSIMILAÇÃO DE CORRENTES MENTAIS

ASSIMILAÇÃO DE CORRENTES MENTAIS


Nos Domínios da Mediunidade (André Luiz), cap 5, (pág 46-49)


Notamos que a cabeça venerável de Clementino passou a emitir raios fulgurantes, ao mesmo tempo que o cérebro de Silva, sob os dedos do benfeitor se nimbava de luminosidade intensa, embora diversa.

O mentor desencarnado levantou a voz comovente, suplicando a Bênção Divina com expressões que nos eram familiares, expressões essas que Silva transmitiu igualmente em voz alta, imprimindo-lhes diminutas variações.  ( . . . )

Fios de luz brilhante ligavam os componentes da mesa, dando-nos a perceber que a prece os reunia mais fortemente entre si.

Terminada a oração, acerquei-me de Silva.

Desejava investigar mais a fundo as impressões que lhe assaltavam o campo físico, e observei-lhe, então, todo o busto, inclusive braços e mãos, sob vigorosa onda de força, a eriçar-lhe a pele, num fenômeno de doce excitação, como que “agradável calafrio”. Essa onda descansava sobre o plexo solar, onde se transformava em luminoso estímulo, que se estendia pelos nervos até o cérebro, do qual se derramava pela boca, em forma de palavras.  ( . . . )

- Vimos aqui, o fenômeno da perfeita assimilação de correntes mentais ... comparemos a organização de Silva a um aparelho receptor... A emissão mental de Clementino ... envolve Raul Silva em profusão de raios que lhe alcançam o campo interior, primeiramente pelos poros (antenas)... Essas impressões apóiam-se nos centros do corpo espiritual (condensadores), atingem, de imediato, os cabos do sistema nervoso (bobinas de indução), ... reconstituindo-se automaticamente, no cérebro, onde possuímos centenas de centros motores, ... ligados uns aos outros e em cujos fulcros dinâmicos se processam as ações e reações mentais, que determinam vibrações criativas através do pensamento e da palavra, considerando ... a boca por valioso alto-falante.


O DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO DOS DOUTRINADORES



Já vimos no estudo feito por André Luiz intitulado “Assimilação de Correntes Mentais” (Nos Domínios da Mediunidade Cap. 5), como se processa a intuição, que é a mediunidade dos doutrinadores e dirigentes.

Dessa forma, quando o cérebro está rico de idéias adquiridas pelo estudo e pela experiência, o psicossoma harmonizado por uma serena confiança além de vitalizado por energias decorrentes de pensamentos elevados e ideais superiores, é suficiente o toque sutil da inspiração para que o intercâmbio se expresse com qualidade no trabalho de doutrinação.

Em termos práticos, diríamos que um dos sinais que caracteriza aquele assistente de mediúnica com o potencial para a doutrinação é uma certa lucidez que lhe aparece e lhe vai permitindo familiarizar-se com os problemas revelados pelos comunicantes, à medida que acompanham o trabalho dos doutrinadores em exercício. É como se lhe brotassem na mente, simultaneamente a fala do doutrinador, as necessidades e os problemas dos comunicantes.

Não confundir este fato com a intromissão mental no diálogo, o que, em hipótese alguma, deve ser praticado.

Chegado o seu momento de atuar (e quase sempre é um compromisso reencarnatório previamente assumido), começa um longo trabalho de aprender com cada experiência, inclusive com as próprias falhas e insuficiências. O hábito de analisar-se e analisar cada atendimento que faz, vai-lhe permitindo avançar mais rápido.


INTUIÇÃO
Esclarecendo os Desencarnados (Umberto Ferreira), (pág 21)


Os esclarecedores precisam muito mais da intuição do que da vidência. A intuição é a faculdade mediúnica essencial para que os esclarecedores conduzam adequadamente o esclarecimento do comunicante. A respeito do assunto, esclarece-nos Emmanuel, em Emmanuel, capítulo VII:

O homem necessita das suas faculdades intuitivas, através de sucessivos exercícios da mente, a qual, por sua vez, deverá vibrar ao ritmo dos ideais generosos.
Cada individualidade deve alargar o círculo das suas capacidades espirituais, porquanto poderá, como recompensa à sua perseverança e esforço, certificar-se das sublimes verdades do mundo invisível, sem o concurso de quaisquer intermediários. O que se lhe faz, porém, altamente necessário é o amor, o devotamento, a aspiração pura e a fé inabalável, concentrados nessa luz que o coração almeja fervorosamente: esse estado espiritual aumentará o poder vibratório da mente e o homem terá então nascido para uma vida melhor.

Destacamos  alguns  pontos  extremamente elucidativos desta dissertação de Emmanuel:

1º)   O homem precisa da intuição;
2º)   A intuição pode ser desenvolvida;
3º)   Ao desenvolvê-la, "alargamos o circulo de nossas capacidades espirituais";
4º)   Com a intuição desenvolvida, podemos conhecer as "sublimes verdades do mundo invisível" e "sem o concurso de quaisquer intermediários";
5º)   Para desenvolvê-la, devemos fazer "sucessivos exercícios da mente", que "deverá vibrar ao ritmo dos ideais generosos";
6º)   No exercício da mente, para desenvolver a intuição, precisamos cultivar o "amor, o devotamento, a aspiração pura e a fé inabalável";
7º)   Estes exercícios nos permitirão atingir um "estado espiritual", que "aumentará o poder vibratório da mente".

Pela intuição, podemos captar as idéias e sugestões dos mentores espirituais com relativa facilidade. Pela vidência, detectamos formas, cenas, que precisam ser interpretadas, interpretação que nem sempre é feita adequadamente, com reflexos negativos no trabalho do esclarecimento. A intuição é, pois, mais útil e segura.
André Luiz, em Nos Domínios da Mediunidade, capítulo V, nos relata o caso do médium esclarecedor Raul Silva, que tinha intuição muito desenvolvida. A sintonia dele com o mentor espiritual era quase plena. Relata o autor espiritual que Raul Silva repetia as expressões do mentor Clementino, "imprimindo-lhes diminutas variações".
O estudo e os exercícios constantes para desenvolver as faculdades intuitivas podem levar os esclarecedores a conseguir uma sintonia com os mentores espirituais tão boa quanto a de Raul Silva.


Nenhum comentário:

Postar um comentário