segunda-feira, 9 de março de 2009

Tente outra vez!!!

WELLINGTON AP. ROCHA BALBO
de Bauru, SP

Essa é a história de Carlos, um otimista inveterado, elegeu como tema de sua vida a música “Tente outra Vez” de Raul Seixas.

Junto com a família saiu do estado de São Paulo e foi para uma cidadezinha no interior do nordeste brasileiro.

Visualizava a chance de enriquecer nessa prospera terra, o povo nordestino simpático e receptivo contribuiu para que a família logo se adaptasse.

Montou com um amigo uma serraria, com muita vontade de trabalhar queriam juntos dar o grito de independência financeira.

Passam-se alguns anos, os dois muito conseguiram, compraram apartamento, telefone, carro.

Mas eis que a situação toma outro rumo, os negócios começam a declinar, as coisas vão gradativamente se complicando e as dívidas acumulando.

Um credor mais exaltado ameaça Carlos e seu sócio de morte, ou pagavam o que deviam ou morriam no prazo de uma semana.

O sócio de Carlos desesperado com o patamar que a situação chegou estava com os nervos a flor da pele, aquilo foi demais para seu corpo físico que sucumbiu vitimado por derrame cerebral.

Com o coração dilacerado pela dor da perda do amigo de ideais, não restou alternativa a Carlos senão assumir sozinho aquela situação. Teve assim, que vender os bens que com tanto esforço havia conquistado, vendeu apartamento, telefone, carro…

Retornou com a família para o interior de São Paulo, com o auxílio dos amigos reconstruiria sua vida, tinha a certeza de que daria a volta por cima. Convidado pelos familiares foi tomar conta da marmitaria que foi de seu sogro.

Tentaria outra vez!

Quando as coisas começam a se ajeitar, sua esposa, companheira de tantos anos, tantas lutas, morre em pleno local de trabalho, duro golpe no coração de Carlos.

Entretanto, não podia desistir, precisava seguir adiante…

Tentaria outra vez!

Mas, com a desencarnação da querida esposa, estava mesmo difícil e os negócios novamente começam a declinar, a alta inadimplência vai minando suas reservas financeiras, o “cheque mate” vem com o acidente que inutilizou o carro que fazia a entrega de marmita.

Novamente Carlos se vê falido, mas nem tudo estava perdido, ele tinha saúde, disposição e vontade de trabalhar.

Tentaria outra vez!

Comprou uma mobilete, arrumou uma pasta, foi a luta trabalhar como vendedor, após um mês de trabalho teve seu veículo roubado.

E agora, o que fazer? Desistir? Desanimar?

Isso jamais passou pela cabeça de Carlos, com certeza a vida lhe traria novas chances de ser feliz, tinha sim, que acreditar e prosseguir lutando com disposição.

Mudou-se de cidade, foi para Rio Claro morar na casa da irmã, tinha a convicção de que novos ares lhe fariam bem.

O começo foi complicado, o mercado de trabalho lhe fechava as portas em virtude de sua idade, tinha na época 52 anos.

Mas com criatividade e persistência, Carlos conquistou a confiança de novos amigos que lhe deram novas chances de reconstruir a vida, batalhador por natureza, Carlos não desperdiçou a oportunidade.

Hoje, está com 54 anos, trabalhando como nunca, aproveitando a vida como poucos, conheceu uma pessoa cem quem namora há dois anos.

No fim do ano prestou vestibulinho para o Colégio Técnico da Unesp, concorreu com 1.200 pessoas, foi aprovado em 25° lugar, voltou a estudar, e me disse uma inesquecível frase:

Meu amigo, lute, não desanime jamais, “TENTE OUTRA VEZ” pois a “VIDA NÃO PÁRA”.

Março de 2006, edição n°. 242

Jornal Eletrônico Verdade e Luz

USE de Ribeirão Preto

Intermunicipal de Ribeirão Preto - Caixa Postal, 827 - 14001-970 - Ribeirão Preto, SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário