domingo, 8 de março de 2009

R o s a s

Cultivo rosas, rosas frágeis, de todos os matizes 
Jesus as aprecia, e feliz, se compraz com elas 
Falo-lhes, entendem-me e sorriem, todavia 
Os espinhos, não as tornam menos singelas

 

Os espinhos nos apontam a realidade da vida 
Se soubermos como toca-las, com disciplina 
Não nos ferem, aguçam-nos todos os sentidos 
A ver que o bem prevalece, e o mal contamina

 

As suas pétalas, as toco com especial carinho. 
São doces, suaves, como pele de recém-nascido 
Elas me entendem a intenção de amá-las apenas 
Sorriem se as fito, e dão-me um olhar enternecido

 

Ensino-as a amar, a tudo e a todos, sem exceção 
Digo-lhes, que nosso Senhor, as amam, com carinho 
Mas ma dizem, que pessoas más, escarnecem delas 
Não lhes vendo a beleza, pisam-nas pelo caminho

 

Mas elas têm sensibilidade e vão aprendendo a doar 
Doando, encontrarão quem muito as ame, como eu 
E sorriem para o amigo sol, ou para lua prateada 
As cores, tanto faz. Importa o Ser maior, que no-las deu.

 

Wanda Vergara Godoy Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário