segunda-feira, 9 de março de 2009

2 -“O Livro dos Espíritos”

Allan Kardec

Estudo 2

Estudo remissivo de "O Livro dos Espíritos"

Repercussão no tempo, no individuo, no futuro

 

A partir do lançamento de "O Livro dos Espíritos" acontece um duplo rompimento.

1º Rompimento – é com a religião baseada no dogma da fé.

2º Rompimento – com a filosofia que explicava a realidade só no campo das idéias, duas situações estas, que significam enfim, um rompimento com o passado, uma vez que este livro, marcará um momento decisivo na evolução humana: o da maturidade mental e espiritual do homem.

É ele, portanto, um marco, onde presente e futuro, passam a ser apresentados em concepção racional que indicam finalidades e objetivos, intimamente ligados, entrosados com o progresso cultural.

É um marco também, porque antes dele não havia Espiritismo – palavra criada por Allan Kardec para designar a Doutrina por ele codificada com os dados obtidos da revelação dos Espíritos Superiores. (a esses dados transmitidos através dos médiuns nas inúmeras sessões experimentais, some-se as pesquisas pessoais além das relações e conseqüências que naturalmente decorriam). Espiritismo – ciência e filosofia = religião como conseqüência do entendimento e vivencia dos aspectos anteriores. Espiritismo, ciência – filosofia – religião que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos bem como de suas relações com a matéria.

No momento de entregar o livro ao editor, o Profº. Rivail sente-se em dúvida"como assiná-lo? Denizard Hippolyte Léon Rivail ou um pseudônimo. Sendo seu nome real muito conhecido no mundo cientifico em virtude de seus trabalhos anteriores, visando evitar alguma influencia ou confusão que porventura pudesse ocorrer, adota o nome de – Allan Kardec – nome que tivera ao tempo de uma das suas existências entre os Druidas.

Desse modo, em 18 de abril de 1857, é lançada em Paris a primeira edição de "O Livro dos Espíritos". Continha 501 questões, formato grande e as perguntas e respostas vinham em 2 colunas, uma a frente da outra.

A forma definitiva, tal qual hoje a conhecemos, vai aparecer na segunda edição, na mesma Paris, em 16 de março de 1860, revisado e ampliado para 1019 questões, 193 subquestões, totalizando 1212 tópicos.

Entre as duas edições – 1857 – 1860 – desenvolveu-se na França, o movimento espírita, ampliando-se para as várias regiões do mundo, com a publicação da ‘Revista Espírita"em janeiro de 1858 e a fundação da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, em 1º de abril deste mesmo ano.

Sete ou oito anos após o lançamento, portanto entre 1863 – 1864 é feita a primeira tradução do original francês para o espanhol por José Maria Fernandes Colavida e, possivelmente lançado em edição clandestina pela imprensa espanhola.

No Brasil, a primeira tradução para o português, é feita da 20ª edição francesa, assinada por Fortunio, apelido do Dr. Joaquim Carlos Travassos e lançado no Rio de Janeiro em 1875.

Hoje, há inúmeras traduções nos principais idiomas, inclusive para o esperanto, possibilitando a que número incalculável de pessoas, tomem conhecimento dos princípios básicos renovadores, confortadores e libertadores contidos na Doutrina Espírita.

Desde aquela época no lançamento, com o surgimento de numerosas organizações espíritas e publicações especializadas, iniciou-se a era espírita.

Por que era espírita?

Porque nas páginas de "O Livro dos Espíritos" fé e razão se harmonizam embasadas na Tríplice estrutura da Doutrina Espírita – ciência – filosofia – religião.

Pela Ciência - o "sobrenatural" torna-se natural reduzindo-se à uma questão de conhecimento das leis que regem o Universo.

Pela Filosofia - há a apresentação de um vasto sistema, baseado em estrutura livre e dinâmica onde problemas metafísicos, problemas propriamente espíritas como a natureza, origem e destino dos Espíritos, sua ligação com a matéria, a vida após a morte, sociologia, ética, propostas, questionamentos e buscas, são apresentados ao campo mental.

Pelas Conseqüências Religiosas - advindas de toda essa revolução mental que propicia, sem cultos, sem rituais, sem hierarquias cristalizadoras ou exterioridades, traduz-se na religião em espírito e verdade extravasada no sentimento e no pensamento do homem, religião positivo, dinâmica, atuante baseada no respeito e vivência das Leis Naturais.

Embora tenhamos visto no estudo anterior, que toda sua reviravolta se processava no campo do pensamento, ainda assim, o surgimento de "O Livro dos espíritos"causa impacto e ele é considerado herético, isto é, fora, contrário, opositor aos princípios religiosos, filosóficos e científicos estabelecidos.

Não obstante, os três campos do pensamento acadêmico – ciência – filosofia – religião – avançam em direção à esses três aspectos de "O Livro dos Espíritos", da Doutrina Espírita: cada conquista da ciência, cada avanço da Filosofia ou da Religião têm marcado, inevitavelmente, uma aproximação com os postulados espíritos e à maneira do mundo clássico que repudiou o Cristianismo para acabar aderindo aos seus princípios o mundo daquela época repudiou o Espiritismo para acabar se posicionando em sua direção.

Durante um século, mais ou menos, permanece este estado de coisas – o livro é lido pelos espíritos e combatido pelos não-espiritas. No tempo próprio porém, a Física demonstra a natureza ilusória da matéria. A Biologia supera o modo mecanicista de entender a Vida. A Astronomia descobre continuamente novas galáxias e corpos celestes buscando Vida. A Psicologia comprova a realidade dos fenômenos paranormais, a percepção extra-sensorial, a independência de "algo"em relação ao sensório – físico. A Filosofia reconhece nos seus estudos relativos à natureza dos seres que..." o homem se completa na morte" em energias que se sucedem. A Religião por sua vez, admite a necessidade de reformular sua idéia finalista, antropomórfica, e exterior, da vida, de Deus, do homem, aspectos estes a demonstrar o quanto este livro precisa mais que nunca ser estudado pelos espíritas.

Desdobrou-se este livro em mais quatro, formando os cinco a Codificação Espírita, a Doutrina Espírita – e estes cinco livros constituem-se com um todo homogêneo e conseqüente, não se podendo separar, optar, preferir, isolar um livro do outro, como se pudessem representar expressão de uma forma diferente do pensamento. Não. Doutrina Espírita é um todo só – todos os temas abordados nos outros quatro livros estão em "O Livro dos Espíritos", e vão encontrar aprofundamento, detalhamento e maiores explicações em cada livros especifico – por exemplo – as ligações do Espiritismo com o Cristianismo vão se definir nas propostas morais contidas em "O Evangelho Segundo o Espiritismo". A controvertida problemática da origem do homem, encontrará reflexões em "A Gênese". As questões mediúnicas, o perispírito em "O Livro dos Médiuns" e as questões teológicas, as penas e recompensas em "O Céu e o Inferno", sem que desenvolvimento, essa abertura em livro próprio queira significar qualquer modificacao dos princípios sintéticos firmados em "O Livro dos Espíritos".

No esquema abaixo, demonstra-se essa notável seqüência e relacionamento entre as obras Básicas, realmente mostrando formarem elas um todo compacto, inseparável, completo.

O Livro dos Espíritos

 

O principiante espírita
O que é o Espiritismo
(2 pequenos livros introdutórios, não se incluem propriamente na Codificação.

 

http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/setaesquerda100.gif

 

Introdução e Prolegômenos

 



Quem sou ?
De onde vim ?

 

http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/Setadireita100.GIF

 

Livro I
Das causas primárias

 

http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/setadireita100.gif

 

" A Gênese "


De onde vim ?
O que sinto ?
Porque sofro ?
Para onde vou ?

.
http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/setadireita100.gif

 

Livro II
Do mundo espírita

.

http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/setadireita100.gif

 

" O Livro dos Médiuns "



Porque sofro ?
Como ser espírita ?
Porque ser espírita ?

.
.
http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/setadireita100.gif

 

Livro III

Das leis morais

.

http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/setadireita100.gif

 

"O Evangelho Segundo o Espiritismo "


Para onde vou ?
Porque vou ?
Como ir ?

.
http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/setadireita100.gif

 

Livro IV
Das Esperanças e Consolações

.
http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/setadireita100.gif

 

"O Céu e o
inferno "

.
Porque ser espírita ?

.

http://www.cebatuira.org.br/OLivrodosEspiritos/imagens/setadireita100.gif

 

Conclusões

 

"O Livro dos Médiuns" – 15-1-1861 – livro que trata da Mediunidade e seu tema principal é o perispírito elemento de ligação entre o Espírito e o corpo material. Neste livro, Kardec trabalha com o mundo espiritual e os seres que nele habitam, os métodos e o como adequar e orientar a mediunidade.

"O Evangelho Segundo o Espiritismo" – abril 1864 – desenvolvimento da parte moral, uma vez que após as comprovações da ciência e as propostas da filosofia, o homem desperta para a moral do Cristo uma vez que neste livro Kardec estuda a parte essencial dos Evangelhos – o ensino moral.

"O Céu e o Inferno" – 1-8-1865 – assuntos referentes à Justiça Divina através dos gozos terrenos e futuros. Liberta o homem do nada biológico, do dogma da ressurreição, paraíso, inferno e purgatório como lugares geográficos demonstrando que os padecimentos humanos tem suas raízes no próprio Espírito e que céu e inferno são estados íntimos da criatura.

"A Gênese" – os milagres e as predições segundo o Espiritismo"- 6-1-1868 – revela cientificamente a existência de um outro mundo na Terra, mundo esse que se interpenetra ao mundo material e com ele se confunde. Não consta nenhuma afirmação dogmática ou exposição de aspectos fantásticos. O que há são raciocínios lógicos, proposições, explicações das leis físicas, mentais e psíquicas, uma análise do campo místico dos milagres e do fenomenismo para normal.

Nestes livros encontram-se portanto, respostas às questões básicas do ser que na Doutrina Espírita abrem-se através de esclarecimento e consolo em sistema aberto propondo a razão, ao raciocínio, a tese fundamental – a evolução – Levando o homem ao encontro de si mesmo, desperta-o para o desejo de superar-se, direcionando-se ao infinito.

"Bastam estas informações, diz-nos o Profº. Herculano Pires, para mostrar aos espíritos arejados a face desconhecida deste livro, bem como sua importância sócio-cultural".

"Em linhas gerais este o livro que mensalmente estudaremos onde..." sua simplicidade aparente é tão ilusória quanto a superfície tranqüila de um grande rio".

Bibliografia

"A Luz do Espiritismo" Vianna de Carvalho

"O Centro Espírita" – Herculano Pires

"O Principiante Espirita" – Allan Kardec

"O Reformador nº 1945" – FEB

"Estudo sobre o Livro dos Espíritos" – A.C. Perri de Carvalho "Noticias sobre o Livro" – H.Pires

Próximo estudo – Introdução do Estudo da Doutrina Espírita – Espiritismo e Espiritualismo.

Leda Marques Bighetti

Nenhum comentário:

Postar um comentário