sábado, 14 de março de 2009

PALAVRAS DE VIDA ETERNA - Estudo 17

Francisco C. Xavier - pelo Espírito Emmanuel

NA SENDA DO CRISTO

“Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”. – Jesus. (Mateus, 5:44)


            Nas diferentes épocas, a vivência cristã assume proporção desafiadora aos que buscam a verdade em virtude das circunstâncias e compromissos que a envolvem. Surgem e multiplicam-se impedimentos que parecem conspirar contra os propósitos de enobrecimento, ameaçando o avanço de quem se decide romper com o erro e com a viciação.

            No atual estágio evolutivo é natural que isso aconteça, pois, ainda é difícil perceber que dores e dificuldades significam impositivos valiosos para a evolução espiritual e que correspondem às reações frente a ações livremente praticadas.

            Na jornada terrestre não há quem passe incólume, em regime de exceção, face aos transtornos de ordem material e espiritual. Mesmo aos Espíritos missionários são exigidas as contribuições morais, com as quais exemplificam aos contemporâneos e aos pósteros as supremas lições, de que suas existências se fazem portadoras. Assim aconteceu com o Cristo e com os seus companheiros de ministério que testemunharam a Boa Nova, atravessando dificuldades, lutas e sofrimentos.

            Lembra Emmanuel que “com o corpo físico retomamos nossos débitos, nossas deficiências, nossas fraquezas e nossas aversões... E não superaremos os entraves da própria libertação providenciando ajuste inadequado com os nossos desejos inconseqüentes, com inúteis petitórios de protecionismo e vantagens inferiores”.

            A existência tem objetivos definidos, finalidade superior, e será nessa identificação que, através das reencarnações, se processará o desenvolvimento espiritual pelo trabalho pessoal para o qual dispomos dos recursos indispensáveis e necessários, vivendo com os homens como criatura humana que somos, não preservando, não usando de artimanhas negativas, não nos adaptando aos modismos, vulgarizando-nos e pervertendo-nos.

            O cristão deve penetrar-se do “espírito do Cristo”, do bem, do amor, conforme os ensinou e viveu Jesus.

            Na senda do Cristo não há lugar para acomodação aos hábitos da ociosidade, ao gozo indiscriminado, ao comportamento dúbio, à religiosidade no templo, ao desequilíbrio nas atividades e na convivência social.

            “Acusar, reclamar, queixar-se, não são verbos conjugáveis no campo de nossos princípios.”

            Destaca a orientação de Jesus: “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” como máxima que encerra uma filosofia ético-moral de reflexos espirituais inamovíveis, em razão das conseqüências de que é portadora. Aplicando-a compete viver de tal modo que cada necessidade, dor, aflição se sinta auxiliada por nossos exemplos e atitudes renovando-se no Bem. Amando, cultivando a fraternidade em relação àqueles que se comprazem em ser-nos inamistosos ou adversários é forma de contribuir, dessedentar, reabastecer de esperança, alegria, aqueles que não sabem amar e por isso se obstinam em criar embaraços.

            Amemos os nossos inimigos, não lhes retribuindo o mal, orando por eles, pois um dia cederão ao impulso sublime do amor.

            Importa reconhecer e viver os ensinamentos insubstituíveis de Jesus, onde a extraordinária mensagem do amor estabelece a orientação segura, os rumos libertadores, encorajando-nos a avançar na direção da plenitude.

 Bibliografia

Xavier, Francisco Cândido. “Palavras de Vida Eterna: Na Senda do Cristo”. Ditada pelo Espírito Emmanuel, 17 ed. Uberaba – MG – CEC. 1992.

Franco, Divaldo Pereira. “Vida: Desafios e Soluções: Objetivos da vida humana”. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis, 2 ed. Salvador – Ba – Livraria Espírita Alvorada Editora. 1997.

Franco, Divaldo Pereira. “Nascente de Bênçãos: Compromisso com o amor”. Ditada pelo Espírito Joanna de Ângelis, 1 ed. Salvador – Ba – Livraria Espírita Alvorada Editora, 2001.

Iracema Linhares Giorgini

Nenhum comentário:

Postar um comentário