quarta-feira, 6 de julho de 2016

O dever

*O dever*

                             
     
O dever é a obrigação moral, diante de si mesmo, primeiro, e dos outros em seguida. 

O dever é a lei da vida: ele se encontra nos mais íntimos detalhes, assim como nos atos elevados. 

Não quero falar aqui se não do dever moral, e não daquele que as profissões impõem. 

Na ordem dos sentimentos, o dever é muito difícil de ser comprido, porque se acha em antagonismo com as seduções do interesse 
e do coração; suas vitórias não têm testemunhos, e suas derrotas 
não têm repressão. 

O dever íntimo do homem está entregue ao seu 
livre arbítrio: o aguilhão da consciência, esse guardião da probidade interior, o adverte e sustenta, mas permanece, freqüentemente, 
impotente diante dos sofismas da paixão. 

O dever do coração, fielmente observado, eleva o homem; mas, esse dever, como precisá-lo? 

Onde começa ele? Onde detém? 

O dever começa precisamente no ponto em que ameaçais a felicidade ou a tranqüilidade do vosso próximo; termina no limite 
que não gostaríeis de ver ultrapassado em relação a vós mesmos.

*Trecho extraído do evangelho seg. o espiritismo de Allan Kardec*

*Comentários de Neide Fernandes Chagas*

O que o Espírito da verdade quer nos passar com esta lição nada mais é que a liberdade em nossa ação, mas ela começa onde termina 
a do nosso próximo e vice-versa, sendo assim não podemos e nem devemos invadir o livre arbítrio de ninguém, pois defendemos 
o nosso com rigor. 

Quando se fala em dever o que ELE quer dizer é que temos que ajudar aos nossos irmãos com palavras e ações que o fortaleça em sua caminhada evolutiva, porém sem invadir sua liberdade impondo-lhe deveres em sua conduta. 

Deus em sua infinita bondade nos criou dotados desta liberdade ( livre arbítrio ) mas também para que sejamos juízes de nós mesmos julgando nossos próprios erros e nunca o do próximo. 

Se usarmos desta liberdade para o bem estaremos crescendo na escalada evolutiva, mas se for para o mal com certeza ficaremos estacionados até entendermos como rege a lei de ação e reação. 


Essa lei é valida a todos os seres principalmente aos espíritas que tem o dever de segui-la Faça o nosso irmão o que fizer não temos o direito de julgá-lo e sim deixar que aprendam com suas atitudes, porém é nosso dever como irmão orientá-los quanto ao dever moral.


Nenhum comentário:

Postar um comentário