quinta-feira, 12 de julho de 2012

Autodesobsessão


Rodrigo Machado Tavares   

   O Espiritismo nos esclarece que a obsessão consiste na influência negativa de espírito para espírito, quer esteja encarnado, quer desencarnado. Portanto, é correto afirmar que a obsessão pode ocorrer de quatro formas, a saber: de desencarnado para encarnado; de desencarnado para desencarnado; de encarnado para desencarnado e de encarnado para encarnado.
Dentro dessa lógica, podemos acrescentar uma quinta forma de obsessão: a auto-obsessão, que consiste na influência negativa que o espírito, encarnado ou desencarnado, desenvolve em si mesmo, através da mono-ideia. 
   Baseado nisto, é muito importante sempre lembrarmos da auto-desobsessão.
A auto-desobsessão pode ser entendida como um processo de auto-ajuda e, consequentemente, de autotransformação. E como é possível fazer a auto-desobsessão? Por ser um processo bastante pessoal, ela começa pela mente, isto é, pela forma como pensamos. Daí, observamos a importância do bem pensar e, por conseguinte, do bom agir. Foi por isto que o nosso Mestre amado Jesus nos disse: “Vós sois o sal da Terra… Vós sois a luz do Mundo” (Mateus 5:13). Em outras palavras, nós temos força para vivermos pelo bem, evitando os processos de obsessão, incluindo a auto-obsessão. 
   Sabemos da grandeza divina do trabalho de desobsessão que as instituições espíritas desempenham. Busquemos também fazer o trabalho contínuo da auto-desobsessão. 
    
    
Rodrigo Machado Tavares é Engenheiro e pesquisador, residente em Londres. Colabora com diversos Grupos Espíritas. 

Jornal de Estudos Psicológicos
Ano II  N° 7 Novembro e Dezembro 2009 
The Spiritist Psychological Society

Nenhum comentário:

Postar um comentário