sexta-feira, 6 de julho de 2012

Libertação Pessoal


Sônia Theodoro da Silva


“SOMOS O DOMICÍLIO VIVO DOS PENSAMENTOS  QUE  GERAMOS  OU  AS  NOSSAS IDEIAS SÃO PONTOS DE APOIO  E  MANIFESTAÇÃO DOS ESPÍRITOS BONS OU MAUS QUE SINTONIZAM CONOSCO?”  (Libertação,  André Luiz/F.   C  .Xavier)

   Na questão 833 de O Livro dos Espíritos,  Allan  Kardec  obtém  a seguinte  resposta  dos  Benfeitores da  Humanidade  com  referência  à possibilidade  de  uma  vivência  absoluta  da  liberdade: é  pelo  pensamento que o ser humano goza de uma  liberdade  sem  limites,  porque o  pensamento  não  conhece  entraves,  sendo  responsável  por  ele (q.834) perante Deus. Ainda com o eco do Iluminismo a permear a elaboração de seus comentários sobre Liberdade, Igualdade e Fraternidade (Obras Póstumas), como princípios fundadores de uma perfeita ordem social capaz de conduzir o ser humano ao convívio salutar e gerador de realizações com base essencial na tolerância, no exercício de direitos iguais que implicam em iguais deveres e, portanto, na liberdade que pressupõe confiança mútua, Kardec antevê uma sociedade ausente de fundamentalismos religiosos que ritualizam a fé, de dogmatismos científicos e filosofias estanques e áridas.

A possível harmonia na convivência da diversidade torna-se viável a partir de um processo de conscientização oriunda da responsabilidade madura e legítima, adquirida no exercício efetivo do que hoje consideramos  apenas  como  possível:  a fraternidade. 
   E esse processo começa com o conhecimento de si mesmo e com a sua etapa posterior: CONHEÇA-SE - DEPOIS SEJA SINCERO COM O QUE DESCOBRIU.    A sinceridade, com a descoberta de conteúdos existenciais ainda  necessariamente passíveis  de  reformulação,  conduz a essa libertação pessoal e intransferível, que teve início com os ensinos  de  Jesus,  posteriormente  referendados pelo Espiritismo. Libertar-se de uma sociedade construída no constrangimento religioso, político e social começa não por ações exteriores de qualquer espécie ou ideologia,  mas dentro da própria pessoa, com a mesma coragem e empenho que  os  Construtores  do  Bem  sobre a Terra conseguiram fazer.       

Sonia Theodoro da Silva é tradutora e graduanda em Filosofia, residente em São Paulo, Brasil, colabora na FEESP, Casas André Luiz e escreve para revistas e jornais espíritas.

Jornal de Estudos Psicológicos
Ano II N° 6  Setembro e Outubro 2009  
The Spiritist Psychological Society 


Nenhum comentário:

Postar um comentário