sexta-feira, 6 de julho de 2012

A Arte de Recomeçar


Evanise M Zwirtes

Na visão da Psicologia Profunda, a realidade verdadeira do homem é aquela que transcende os limites do objetivo, do temporal, isto é, do material.  Somos espíritos, manifestando-nos através da indumentária carnal.
   A princípio, criados simples e ignorantes, a partir da aquisição do livre-arbítrio, começamos a fazer escolhas.  Essas, quando condizentes com as leis naturais da Vida, nos proporcionam equilíbrio, mental, emocional, físico e espiritual. Quando contrárias ao que é bom, belo, ético e estético, criam conflitos para seu emissor, conscientes ou inconscientes. Entendemos que os conflitos em si são positivos, uma vez que apresentam experiências inconscientes, necessitando serem conscientizadas.
   Quando isso ocorre, necessário se faz refletir para autodesenvolver-se. Transcender o ego, permitindo que a vida seja conduzida pelo Self, o centro organizador.  Procurar analisar a experiência como aprendiz da Vida e decidir recomeçar, sempre que  necessário,  participando  ativamente do próprio processo  de atualização,  como  cocriador  do  próprio destino.
   Viver é escolher, e saber escolher é uma arte. A proposta da Psicologia Espírita é auxiliar o homem-espírito a sair do estado de inconsciência para o de consciência. Baseada na Teoria da Reencarnação, ela visa oferecer, ao indivíduo, um convite ao autoencontro, considerando tanto sua anterioridade como seu devenir.  Para progredir, é fundamental recomeçar do ponto anteriormente atingido.
   Sabendo que a vida é transitória e que as tribulações que lhe são inerentes constituem meios de alcançar estados mais felizes quando vivenciados com sabedoria, convém participar da Vida com alegria, cientes de que fomos criados por amor e para amar.  A alegria da vida está na expansão da consciência; o sofrimento, na sua limitação. 
   Visando o presente como oportunidade única de autorealização, consideremos todas as nossas experiências, boas ou más, como mecanismos impulsionadores a avançar sempre, sem medo da individualização. 
   Ao encontrar dificuldades no processo de espiritualização da personalidade, junte-se a nós, participando dos estudos que ampliam a autopercepção, trazendo conhecimento e liberdade com responsabilidade.  Assim será mais fácil o reinício da aprendizagem que dará significado  profundo  à sua existência.    

Evanise M Zwirtes é Psicoterapeuta e Coordenadora do The Spiritist Psychological Society, Londres-UK.

Jornal de Estudos Psicológicos
Ano II N° 6  Setembro e Outubro 2009  
The Spiritist Psychological Society 

Nenhum comentário:

Postar um comentário