quarta-feira, 21 de setembro de 2016

O LIVRO DOS MÉDIUNS

(Guia dos Médiuns e dos Doutrinadores)
Por
ALLAN KARDEC
Contém o ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o Mundo Invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os escolhos que se podem encontrar na prática do Espiritismo.

SEGUNDA PARTE

DAS MANIFESTAÇÕES ESPIRITAS

CAPITULO XVI

MÉDIUNS ESPECIAIS

Estudo 78 - 193VARIEDADES DOS MÉDIUNS ESCREVENTES - Segundo o gênero e a especialidade das comunicações.

Relembramos que na questão 152 afirmou Allan Kardec que a ciência espírita progrediu como todas as outras e mais rapidamente do que estas. Ao observar os médiuns em ação o Codificador identificou as variedades que passamos a estudar.
VARIEDADES DOS MÉDIUNS ESCREVENTES

1º - Segundo o modo de execução
2º - Segundo o desenvolvimento da faculdade
3º - Segundo o gênero e a especialidade das comunicações
4º - Segundo as qualidades físicas do médium
5º - Segundo as qualidades morais dos médiuns

3º - SEGUNDO O GÊNERO E A ESPECIALIDADE DAS COMUNICAÇÕES:

Médiuns versificadores: obtêm, mais facilmente do que outros, comunicações em verso. Muito comuns, para maus versos; muito raros, para versos bons.

Médiuns poéticos: São os que sem obter versos, recebem comunicações de estilo vaporoso, de sentimental, nada que mostre rudeza. São, mais que os outros, próprios para a expressão de sentimentos ternos e afetuosos. Tudo, nas suas comunicações, é vago; é inútil pedir-lhes idéias precisas. Muito comuns.

Médiuns positivos: suas comunicações têm, geralmente, um cunho de nitidez e precisão, que muito se presta às minúcias circunstanciadas, aos ensinamentos exatos. Muito raros.

Médiuns literários: não apresentam o tom vago dos médiuns poéticos, nem o terra-a-terra dos médiuns positivos, porém, dissertam com sagacidade. Seu estilo é correto, elegante e, frequentemente, de notável eloquência.

Médiuns incorretos: podem obter comunicações muito boas, pensamentos de elevada moralidade, mas seu estilo é difuso, incorreto, sobrecarregado de repetições e de termos impróprios.

"A incorreção material do estilo decorre geralmente de falta de cultura intelectual do médium que não serve de bom instrumento para o Espírito nesse sentido. Mas o Espírito dá pouca importância a isso e, tendo como essencial o pensamento, ele vos deixa a liberdade de dar-lhe a forma que convenha. Já assim não é com relação às idéias falsas e ilógicas que uma comunicação possa conter, as quais constituem sempre um indício de inferioridade do Espírito que se manifesta." Allan Kardec

Médiuns historiadores: os que revelam aptidão especial para as explanações históricas. Esta faculdade, como todas as demais, independe dos conhecimentos do médium, pois há pessoas sem instrução e até mesmo crianças, que tratam de assuntos muito além do seu alcance. Variedade rara dos médiuns positivos.

Médiuns científicos: não dizemos sábios, porque podem ser muito ignorantes e, apesar disso, se mostram especialmente aptos para comunicações relativas às Ciências.

Médiuns receitistas: têm a especialidade de servirem mais facilmente de intérpretes aos Espíritos para as prescrições médicas. Importa não os confundir com os médiuns curadores, visto que absolutamente não fazem mais do que transmitir o pensamento do Espírito, sem exercerem por si mesmos influência alguma. Muito comuns.

Médiuns religiosos: recebem especialmente comunicações de caráter religioso, ou que tratam de questões religiosas, sem embargo de suas crenças, ou hábitos.

Médiuns filósofos e moralistas: suas comunicações tratam de questões de Moral ou de alta Filosofia. Muito comuns para as questões morais.

"Todos estes matizes constituem variedades de aptidões dos médiuns bons. Quanto aos que têm uma aptidão especial para comunicações científicas, históricas, médicas e outras, fora do alcance atual, fica certo de que possuíram esses conhecimentos em outra existência e os conservam em estado latente, fazendo parte assim, dos elementos cerebrais necessários à comunicação do Espírito que se manifesta; são os elementos que facilitam a transmissão de idéias que lhe são próprias, porquanto, em tais médiuns encontra instrumentos mais inteligentes e mais maleáveis do que num ignorante." - (Erasto)

Médiuns de comunicações triviais e obscenas: estas palavras indicam o gênero de comunicações que alguns médiuns recebem habitualmente e a natureza dos Espíritos que as dão. Quem tiver estudado o mundo espírita em todos os graus, sabe que há Espíritos cuja perversidade se iguala à dos homens mais depravados e que se comprazem em exprimir seus pensamentos nos mais grosseiros termos. Outros, menos abjetos, se contentam com expressões triviais. E natural que esses médiuns sintam o desejo de se livrarem da preferência de que são objeto por parte de semelhantes Espíritos e que devem invejar os que, nas comunicações que recebem, jamais escreveram uma palavra inconveniente. Só por uma estranha aberração mental e falta de bom senso se poderia acreditar que semelhante linguagem pudesse ser usada por Espíritos bons.

Concluindo o estudo sobre o gênero e especialidade das comunicações, relembramos que, dada a condição moral do nosso planeta e a questão de afinidade, é muito comum encontrarmos médiuns transmitindo comunicações de Espíritos de condição moral semelhantes às suas próprias condições, mas acreditando serem elas de alto valor moral. Mas, como exemplo de alto valor moral, citamos Francisco Cândido Xavier que, apesar do grau de escolaridade, serviu como intermediário para que o mundo espiritual trouxesse até nós ensinamentos de valor inestimável.

Bibliografia:

KARDEC, Allan - O Livro dos Médiuns: 2.ed. São Paulo: FEESP, 1989 - Cap XVI - 2ª Parte – item 193.3º


Tereza Cristina D'Alessandro
Abril / 2008


Centro Espírita Batuíra
cebatuira@cebatuira.org.br



Ribeirão Preto - SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário