quinta-feira, 29 de setembro de 2016

*ESTUDO DO LIVRO DOS MÉDIUNS*

*PRIMEIRA PARTE*

*CAP. I*

1.Em que se funda a crença nos espíritos?

2. Onde habitam os Espíritos? Explique!

3. O que é o Espírito?

4. Como vc explicaria a um descrente a existência e a comunicabilidade dos espíritos?

*CAP. I*

1.Diante do incrédulo, do que se nega a admitir a existência e/ou a comunicabilidade dos espíritos, que atitude devemos tomar?

*CAP. II*

1. Por que o sobrenatural e/ou o maravilhoso pode ser considerado uma derrogação da lei natural?

2. Com base no texto lido, quais fatos poderiam ser considerados sobrenaturais ou um milagre?

3. Se um materialista lhe dissesse que milagres e o sobrenatural são bobagens, que não existem, o que vc responderia?

*CAP. II*

1. Em relação aos críticos do espiritismo, para que se desse crédito a algum deles, que características teria que reunir? Por quê?

2. Ao crítico que não reúna essas qualidades, que atitude deve ter o espírita?

3. Para se concluir que um fenômeno não é um milagre, a que circunstância deve atender?

4. Qual papel desempenha o espiritismo em relação ao que foi considerado sobrenatural?

*CAP. III*

1. O que é necessário observar para ensinar o Espiritismo?

2. O significa "ensinar o Espiritismo"?

3. A que princípio o codificador se refere quando fala do ponto da partida do conhecimento espírita?

4. Qual o primeiro ponto que se deve observar para ensinar um materialista sobre a existência dos espíritos, por exemplo?

5. È certo que existem quatro tipos de materialista como bem mostrou o texto; como se deve abordar o ensino a cada um destes tipos?

*CAP III*

1. Como vc descreveria o espírita experimentador, o exaltado e o imperfeito?

2. Quem são os verdadeiros cristãos?

3. Qual a missão do verdadeiro espírita?

4. Por que não é possível fazer um curso de espiritismo experimental?

5. Portanto, por onde se deve começar o estudo?

6. E qual é, no dizer do codificador, o melhor método?

*CAP IV*

1. Dentro do "espírito de negação" se resumem em quatro os sistemas que negam o Espiritismo. Quais são e qual  idéia central de cada um deles?

*CAP IV*

1. No que consiste o sistema das causas físicas?

2. Por que o sistema dos reflexos não resistiu ao exame da razão?

3. Qual sistema afirma que a alma volta a um todo comum e onde está sua falha?

4. O sistema sonambúlico também tem suas falhas. Quais são elas?

5. O sistema pessimista, diabólico ou demoníaco ainda é bastante evocado pela maioria dos que são contrários ao Espiritismo. No que consiste este sistema?

6. Qual é seu entendimento sobre esta assertiva: "O melhor meio de se obviar aos inconvenientes da prática do Espiritismo não consiste em proibi-la, mas em fazê-lo compreendido"?

*CAP IV*

1. Qual o inconveniente do sistema otimista?

2. No que consiste a variedade deste sistema?

3. No sistema multispírita ou polispírita a que equívocos podemos incorrer?

4. Destaque o que achar mais importante das conseqüências gerais do estudo da codificação, resumidas e compiladas por Kardec.

5. Os diferentes graus por que passam os Espíritos se acham indicados na Escala Espírita (O Livro dos Espíritos, parte II, capítulo I, n. 100). Faça um breve resumo destes graus de classificação.

6. No que consiste o sistema de alma material e por que não pode ser racionalmente aceito?

*SEGUNDA PARTE*

*CAP I*

1. Qual a causa da dúvida na existência dos espíritos e o que acontece quando ele é esclarecida?

2. Como se dá a ação dos espíritos sobre a matéria?

3. Quais as partes constitutivas do homem encarnado e qual delas desaparece com a morte?

4. O que é o perispírito e qual é a sua função?

5. Como vc definiria o Espírito?

*CAP I*

1. Resuma com suas palavras como se dá a ação dos espíritos sobre a matéria.

*CAP II*

1. Qual a importância do fenômeno das mesas girantes para a explicação dos fenômenos físicos observados?

2. Já vimos como se dá a ação dos espírito sobre a matéria: o espírito age sobre a matéria através de seu perispírito e manipulando o Fluido Cósmico Universal: qual o papel do médium nestas manifestações?

3. Que influência tem no fenômeno a "força" do médium?

*CAP III*

1. Qual a característica de uma manifestação inteligente?

2. Que características especiais quanto ao fenômeno das mesas girantes, levaram o codificador a ter certeza que eram provocados por uma inteligência independente do médium ou dos espectadores?

*CAP IV*

1. O que é o Fluido Cósmico Universal e qual a finalidade da sua existência?

2. Que categoria ocupa os espíritos que produzem efeitos físicos? São, por isso, espíritos maus? Por quê?

3. Qual o papel do fluido vital nas manifestações físicas?

4. Na atuação do espírito sobre a matéria o médium exerce um papel importante. Explique com suas palavras como se dá essa intervenção.

5. O médium sempre está consciente dessa sua participação no fenômeno?

6. Qual a parte mais importante na produção do fenômeno?

*CAP V*

1. Por que foram igualmente importantes as manifestações físicas espontâneas?

2. Por que atualmente raramente ocorrem?

3. Que "teste" se poderia fazer para diferenciar uma manifestação de pancadas, por exemplo, de um engano ou embuste? Este teste é infalível?

4. Por que sente-se medo dessas manifestações?

5. Por que esse medo pode ser considerado irracional?

6. Qual é a conotação dessa assertiva no texto estudado: "O tambor deixa de tocar, para despertar os soldados, logo que estes se acham todos de pé"?

*CAP V*

1. Qual a melhor atitude diante de fenômenos físicos como os citados no texto? Por quê?

2. O que são "médiuns naturais" e qual seu papel na ocorrência dos fenômenos físicos?

3. Além da contribuição do médium para que aconteça o fenômeno que outras circunstâncias são necessárias?

*CAP V*

1. Resuma com suas palavras os cuidados que se deve ter com as manifestações físicas - sejam de que natureza forem - para não sermos vítimas de enganações, e explique a contribuição do espiritismo nesta questão.

2. Por que os médiuns sensitivos são os mais apropriados como instrumento deste fenômeno de transporte?

3. Por que esses fenômenos são tão raros?

4. Algum comentário a respeito deste fenômeno em particular?

*CAP VI*

1. Em relação a uma aparição de um espírito, o que significa dizer: "pode ser má a intenção do Espírito e bom o resultado"?

2. Por que não se vê constantemente os Espíritos?

3. O que os Espíritos recomendam que se faça diante da aparição de um desencarnado?

4. Qual a finalidade da aparência assumida pelo espírito na aparição?

5. Por que alguns Espíritos, mesmo sendo evocados e ardentemente chamados, não aparecem nem em sonhos a quem os chamam?

6. Qual o papel do perispírito nas aparições visuais?

*CAP VI*

1. Explique a analogia feita entre o mundo espiritual e o mundo microscópico, os quais não percebemos pelos sentidos comuns, em relação ao mundo corpóreo em que ora vivemos.

2. Basta a vontade do Espírito para modificar seu perispírito e proceder a aparição?

3. O que são "espíritos glóbulos" e "matizes da irisação", entre outros efeitos, e por que podem ser descartados como aparições de espíritos?

*CAP IV*

1. Qual a diferença entre aparição (sonho, visão...) e alucinação.

2. Explique a lei fisiológica de "impressões cerebrais".

3. Por que as explicações científicas para esses fatos não podem ser racionalmente aceitas?

*CAP VI*

1. Descreva com suas palavras o que é um médium vidente natural e como ele pode ter visto pessoas ainda encarnadas, mas que não se encontravam por perto.

2. Quando o espírito de uma pessoa encarnada sai para visitar outra, às vezes, num lugar muito distante, como o corpo permanece vivo, já que a morte física se dá pela ausência do espírito que anima a carne?

3. Como se explica a bicorporeidade?

4. Como se explica a transfiguração?

*CAP VI*

1. Qual a finalidade da materialização de objetos e roupas quando da aparição de um Espírito?

2. Explique qual o sentido da palavra "aparência" empregada para explicar a materialização de objetos, de roupas ou mesmo da pneumatografia utilizados pelos Espíritos?

3. Como o Espírito "fabrica" esses elementos?

4. Além da vontade, da capacidade, o que mais é necessário para que o Espírito assim proceda?

5. Se os objetos criados pelos Espíritos nessas condições desaparecem, por que o mesmo não se dá com a escrita, já que se utiliza do mesmo princípio?

*CAP IX*

1. O que leva alguns Espíritos a apegarem-se a pessoas, objetos e lugares? Todos têm a mesma motivação?

2. Esse apego seria indicativo de inferioridade ou de maldade? Explique de acordo com o texto.

3. Qual a influência da superstição humana sobre esses fatos?

4. Qual a influência da prece na atração dos Espíritos a determinados lugares?

5. Na reflexão do codificador e dos Espíritos se pode dizer que existem os lugares mal-assombrados? Por quê?

6. Existem motivos racionais para se temer os assim chamados lugares mal-assombrados?

7. Qual o melhor meio de "limpar" o ambiente da presença dos maus Espíritos?

*CAP X*

1. No que se caracterizam as comunicações grosseiras, frívolas, sérias e instrutivas, respectivamente?

2. Qual é o critério fundamental dessa classificação?

3. Quais os cuidados que devemos ter em qualquer comunicação?

*CAP XII*

1. No que a pneumatografia ou escrita direta difere da psicografia?

2. Em princípio, o que é necessário para se obter a escrita direta?

3. Como o Espírito produz o efeito?

4. Que relação, entre causa e efeito, o codificador faz no item 149?

*CAP XII*

1. Qual a relação entre os ruídos e pancadas que o Espírito pode produzir e a pneumatofonia?

2.  Que diferenciação podemos fazer entre os sons fisiológicos (produzidos por nosso corpo físico) ou pela alucinação, por exemplo, e a pneumatofonia?

3. Quais as características principais deste fenômeno às quais devemos ficar atentos para não nos enganarmos?

*CAP XIII*

1. Todas as experiências descritas no texto para comunicar-se com os Espíritos, culminaram na psicografia, utilizada até hoje para este fim. Quais os tipos de psicografia estabelecidos e quais são suas características?

2. O que é mais importante: a natureza do instrumento utilizado ou o modo de obtenção da comunicação? Por quê?

*CAP XIV*

1. Por que se pode dizer que todos nós encarnados somos médiuns?

2. Por que, então, apenas alguns de nós são assim denominados?

3. Quais as principais aptidões mediúnicas?

4. Descreva resumidamente os médiuns de efeitos físicos?

5. Descreva os dois tipos de médiuns de efeitos físicos.

6. Por ser uma aptidão "rudimentar", mais simples, pode-se atribuir essa faculdade a espíritos menos desenvolvidos ou mais atrasados?

7. O que recomendam os Espíritos que se faça quando observamos a presença dessa faculdade em alguém próximo a nós?

8. Como se passa do estado de médium natural para médium voluntário e qual a finalidade dessa modificação?

*CAP XIV*

1. Qual a característica principal dos médiuns sensitivos ou impressionáveis?

2. Qual a circunstância que torna  faculdade de audiência desagradável?

3. Antes de vermos as recomendações sobre obsessão, como diz o codificador no texto, que outras providências poderíamos tomar para mudar esse padrão desagradável?

4. Qual a diferença entre médium audiente e falante?

*CAP XIV*

1. Qual a característica principal dos médiuns videntes que os distingue dos de dupla vista e das visões acidentais?

2. Descreva a faculdade mediúnica da vidência.

3. Por que os Espíritos recomendam que não se force o desenvolvimento desta faculdade?

4. Qual a diferença entre o sonâmbulo e o sonâmbulo médium?

5. Que papel tem o grau moral do médium na expressão da faculdade?

6. Qual a diferença entre a faculdade mediúnica de curar e especialidade de magnetizar?

7. Que associação há entre a mediunidade curadora e a magnetização?

8. Que particularidade têm os médiuns pneumatógrafos que nem todos os médiuns escreventes têm?

9. Qual a utilidade desta faculdade, sendo tão rara e mais fácil escrever?

*CAP XIV*

1. Descreva a evolução da psicografia desde as mesas girantes.

2. Descreva o fenômeno da psicografia.

3. Por que os Espíritos dizem que a psicografia mecânica é mais "preciosa" do que outras formas?

4. De que forma agem os Espíritos sobre o médium intuitivo?

5. Dentre os médiuns psicógrafos, qual é o mais comum?

6. Qual a característica mais marcante dos médiuns inspirados?

7. Por que se diz que todos somos médiuns inspirados?

8. Por que os "homens de gênios" são médiuns sem o saberem?

9. Descreva os médiuns de pressentimentos.

*CAP XVI*

1. Que influência tem a aptidão do médium na escolha do Espírito para a comunicação?

2. Diz o codificador: Para que uma comunicação seja boa, preciso é que proceda de um Espírito bom; para que esse bom Espírito a possa transmitir indispensável lhe é um bom instrumento; para que queira transmiti-la, necessário se faz que o fim visado lhe convenha.

Assim, como se poderia definir um bom médium?

*CAP XVI*

*1. Resuma com suas palavras:*

    a) o que é comum em todos os gêneros de mediunidade;

    b) que gêneros de mediunidade podem ser agrupados na categoria dos efeitos físicos;

    c) quais gêneros de mediunidades podem ser enquadrados na categoria de efeitos intelectuais.

2. Por que os médiuns curadores e pneumatógrafos foram considerados de efeitos físicos nessa classificação?

*CAP XVI*

1. De acordo com o modo de execução da psicografia, os médiuns podem ser:

2. Qual está mais sujeito a enganos? Por quê?

3. Conforme o grau de desenvolvimento da mediunidade qual é o tipo mais procurado para textos mais longos?

4. Como se chega ao grau de excelência mediúnica?

5. Que perigo encerra a confusão entre experiência e aptidão mediúnica?

6. Qual o perigo de ser um médium exclusivo?

7. Que característica torna os médiuns de evocação especiais para este gênero de comunicação?

*CAP XVI*

1. Segundo o gênero e as particularidades das comunicações, que influência exerce a insuficiência intelectual do médium no estilo da comunicação?

2. Com base no texto, como se explicaria que uma pessoa que nunca freqüentou uma escola e que poderia se considerar sem instrução intelectual, ser capaz de transmitir textos altamente especializados numa determinada ciência?

3. Segundo as qualidades físicas do médium, que influência tem a condição física do médium na psicografia das mensagens?

*CAP XVI*

1. Dentre os médiuns imperfeitos qual (ou quais) seria o mais lamentável?

*CAP XVI*

1. Com base no texto, como se poderia definir o bom médium?

2. Qual o perigo de se forçar o desenvolvimento de uma característica mediúnica que não se possui?

*CAP XVII*

1. Para saber se temos a capacidade da psicografia, precisamos experimentar. Como se pode fazer essa experimentação?

2. No caso de sermos médiuns psicográficos, como se pratica esse atributo para bem servir?

3. Por que não podemos escolher o Espírito para nos comunicarmos?

*CAP XVII*

1. Que outras recomendações faz o codificador, além das que vimos anteriormente, para exercitar a psicografia?

2.Que contribuição pode um médium escrevente e já experiente trazer a um iniciante?

*CAP XVIII*

1. Que recomendações fazem os Espíritos para as evocações em grupos?

2.Que vantagens a evocação em grupo oferece em comparação às evocações solitárias?

3. Qual a condição especialmente necessária ao médium aprendiz, além das já citadas?

4. Que cuidados devem ser observados nesses exercícios iniciais de psicografia?

*CAP XVIII*

1. Qual o grande perigo que ronda o médium principiante?

2.Que atitudes podem ser tomadas para evitar que se prejudiquem em relação à mediunidade principiante?

3. Como podemos reconhecer um espírito mal-intencionado que tenta comunicar-se a través de nossa mediunidade?

4. Em que circunstâncias pode o principiante produzir, por sua livre vontade, uma obsessão?

5. O que recomenda o Codificador no tocante à mediunidade intuitiva que, diferentemente da psicografia mecânica, acarreta a intervenção do médium a interpretar o que lhe foi sugerido por pensamentos?

6. Pode o médium experiente abster-se do estudo? Por quê?

7. De acordo com o texto, o que significa: "Um pai não abandona um filho porque, surdo e cego, não o pode ouvir nem ver; cerca-o, ao contrário, de toda a solicitude".

*CAP XVIII*

1. Em que circunstâncias o médium pode ter suspensas as suas faculdades?

2. Poderá retomá-las algum dia?

3. Se sim, do que dependerá essa recuperação?

4. A faculdade mediúnica é um prêmio ou uma prova, missão ou expiação?

5. comente este trecho do texto: "16ª Como pode um homem aperfeiçoar-se mediante o ensino dos Espíritos, quando não tem, nem por si mesmo, nem com o auxílio de outros médiuns, os meios de receber de modo direto esse ensinamento? Não tem ele os livros, como tem o cristão o Evangelho? Para praticar a moral de Jesus, não é preciso que o cristão tenha ouvido as palavras ao lhe saírem da boca".

*CAP XIX*

1. Em que circunstância o exercício da mediunidade pode causar algum mal físico ao médium?

2. Nesse caso, que atitudes deve o médium tomar?

3. Como ficaria, então, a necessidade de trabalho através da mediunidade?

4. Por que os Espíritos desaconselham o exercício da mediunidade em crianças?

5. Qual é a exceção?

6. Qual a idade segura para o exercício da mediunidade?

7. Resuma o que diz o parágrafo XII da "Introdução" de O Livro dos Espíritos.

*CAP XIX*

1. Como podemos diferenciar uma comunicação anímica (quando vem do próprio médium) de uma vinda de um outro Espírito ?

2. Nesse caso, que conselho nos dá os Espíritos?

3. Que papel exerce o Espírito do médium na comunicação, onde seu corpo físico é o instrumento?

4. Quando o médium pode ser um mau intérprete?

5. Levando-s em conta que os Espíritos podem vencer qualquer barreira material e moral do médium e se comunicarem, por que escolhem indivíduos mais aptos, de acordo com seus objetivos?

*CAP XIX*

1. Por que o Espírito precisa do concurso do médium quando quer se comunicar e não o faz diretamente, ditando ou escrevendo um texto, por exemplo?

2. Que quiseram dizer os Espíritos com: "não é regular que o discípulo imponha sua vontade ao mestre" em relação ao exercício da mediunidade?

3. Como se explica uma habilidade mediúnica para a pintura, por exemplo, sem que o médium saiba fazer qualquer desenho por mais medíocre que seja, levando-se em conta que os Espíritos nos usam conforme nossas próprias habilidades para se comunicarem?

*CAP XX*

1. Levando-se em conta que para ser um bom médium é necessário reformar-se, ou seja, trabalhar nossas qualidades morais, aprimorando-as, por que dizem os espíritos que a moralidade do médium não está relacionada com o desenvolvimento da mediunidade?

2. A mediunidade constitui um privilégio, um prêmio, ou é prova/expiação? Por quê? Qual o finalidade fundamental do exercício da mediunidade?

3. O que caracteriza o mau uso da mediunidade? Que conseqüências pode trazer para o médium?

4. Em que circunstâncias o médium deve refletir se a lição recebida se aplica a ele? O que pode atrapalhar essa consciência do médium? O que fazer nesses casos?

*CAP XX*

1. Poder-se-ia qualificar a mensagem de acordo com o grau moral do médium? Por quê?

2. Quais são os "sintomas" dos médiuns orgulhosos? O que nós podemos fazer para agravar ou fazer surgir essa situação? Como podemos ajudar um médium orgulhoso?

*CAP XXI*

*1. A intenção predominante no meio influencia diretamente as comunicações?*

    a) De que maneira isso acontece?

    b) O que é necessário para se ter boas comunicações em relação ao meio?

*CAP XXII*

*1. Podem os animais ser médiuns?*

    a) Por quê?

    b) Cite um exemplo.

*2. Seriam os animais capazes de captar a mensagem de um Espírito?*

    a) Seriam também capazes de retransmitir o pensamento desses Espíritos?

    b) Se respondestes SIM a alguma das perguntas acima, dê um exemplo.

*3. Frente a essas colocações, naturalmente surgem as perguntas.*

    a) O que tudo isso significa?

    b) Esses fenômenos são mediúnicos?

    c) Os animais podem atuar como médiuns?

Nenhum comentário:

Postar um comentário