segunda-feira, 28 de março de 2016

ESTUDO 3 O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - INTRODUÇÃO I

ESTUDO 3 - O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO

POR ALLAN KARDEC

INTRODUÇÃO: I – OBJETIVO DESTA OBRA


Considerou Kardec necessária esta introdução para o entendimento da obra no contexto da doutrina espírita.
Estudando o Evangelho de Jesus, sob o ponto de vista das revelações dos Espíritos, que deram origem ao espiritismo, Kardec dividiu os relatos dos evangelistas em cinco partes:
1 – os atos comuns da vida do Cristo;
2 – os milagres;
3 – as profecias;
4 – as palavras que serviram para o estabelecimento dos dogmas da Igreja;
5 – o ensino moral.
Percebeu que as quatros primeiras eram e continuam sendo objetos de discussão. Ainda hoje há quem duvide da existência de Jesus!
Percebeu que o espiritismo, com seus princípios básicos leva o homem a Ter uma moral interna, que se irradia para o cotidiano em atitudes e comportamentos, com consciência e sensibilidade. Percebeu que essa moral é a de Jesus, universal, eterna, perfeita, a única capaz de dar ao homem a paz e a felicidade almejada por todos, desde o início da civilização.
Entendeu então Kardec que deveria deixar de lado os aspectos que provocam divergências e polêmicas e estudar, à luz da doutrina espírita, os ensinos morais de Jesus.
Escreveu: "Diante desse código divino, a própria incredulidade se curva. É o terreno em que todos os cultos podem encontrar-se, a bandeira sob a qual todos podem abrigar-se, por mais diferentes que sejam as suas crenças."
"Para os homens, em particular, é uma regra de conduta, que abrange todas as circunstâncias da vida privada e pública, o princípio de todas as relações sociais fundadas na mais rigorosa justiça. É por fim, e acima de tudo, o caminho infalível da felicidade a conquistar."
Assim, o Evangelho Segundo o Espiritismo trata do estudo da moral de Jesus, à luz dos esclarecimentos que o espiritismo traz das leis divinas.
Kardec agrupou as máximas do Cristo, descritas pelos evangelistas, conforme o tema abordado, de maneira de umas se deduzissem das outras, tanto quanto possível.
O objetivo de Kardec, assim procedendo, era por ao alcance de todos, pela explicação das passagens, que sendo obscuras ou inapropriadas para os tempos atuais, se tornassem claras com as interpretações espíritas. Também quis destacar o desenvolvimento das conseqüências na aplicação dos ensinos de Jesus nas diferentes situações da vida, demonstrando assim, que sua vivência está dentro da capacidade do homem de hoje, num mundo de hoje.
 Assim, com a doutrina espírita, os ensinos de Jesus tornam-se compreensíveis, atualizados, porque sua moral é eterna, para todos os tempos, para toda a Criação Divina.
O estudo do espiritismo nos faz compreender que ele é a chave para o entendimento dos ensinos de Jesus.
Nessa introdução, Kardec justifica a não citação dos nomes dos médiuns nas mensagens mediúnicas, publicadas, a pedido de muitos deles, para não estabelecer exceções e porque, no trabalho da codificação esses nomes não acrescentariam nenhum valor, servindo apenas para satisfazer o amor próprio, "pelo qual os médiuns verdadeiramente sérios não se interessam".
Kardec recomenda que esse livro é para todos, "cada qual pode dela tirar os meios de conformar sua conduta à moral do Cristo".
O espiritismo nada exige, explica as leis divinas, demonstrando que todo homem, seja qual for seu grau evolutivo, pode compreender melhor a moral de Jesus; compreendendo-a, pode exercitá-la, na medida de suas possibilidades segundo seu esforço, impulsionado pela sua vontade.
Assim querendo, inicia um novo curso de aprendizado, sendo ele o aluno e Jesus o Mestre, onde irá aprendendo a melhorar-se no que já possui de bom, a corrigir-se nas suas más inclinações, atraindo Espíritos benévolos que o inspiram e o auxiliam.
Perseverando, num dado momento, ainda nesta existência, sentir-se-á uma melhor pessoa, com mais e bons amigos, e gozará então, de uma felicidade relativa a um mundo imperfeito, mas que o estimulará a continuar nesse caminho, com confiança, com prazer, sentindo-se mais forte para continuar perseverando no bem, apesar das quedas, dos equívocos.
 Vale o esforço de estudar O Evangelho Segundo o Espiritismo, todos os dias, do início ao fim e, quando terminar, recomeçar tudo de novo; vale o esforço de, perseverantemente, tentar vivenciá-lo nas diferentes situações cotidianas, com quaisquer pessoas, em qualquer lugar, a começar de nossos lares.

Leda de Almeida Rezende Ebner
Agosto de 2001

Centro Espírita Batuira
cebatuira@cebatuira.org.br
Ribeirão Preto (SP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário