sábado, 1 de outubro de 2016

*Palestra Virtual*

Promovida pelo Canal #Espiritismo

http://www.irc-espiritismo.org.br

e pelo Centro Espírita Léon Denis

http://www.celd.org.br

*3º Encontro Espírita de Evangelizadores*

*Tema: Evangelizando Bebês*

*Palestrante: Nadja Paes*

Rio de Janeiro

*Organizadores da palestra:*

Moderador: "jaja" (nick: |Moderador|)

"Médium digitador": Carlos Filipe (nick: Beth_Operti)

*Oração Inicial:*

*Pai amado que nos criaste, agradecemos pelas oportunidades de crescimento espiritual que surgem constantemente a nós, com o auxílio dos amigos espirituais que nos acompanham. Pedimos agora o teu apoio à palestra que iniciaremos, para que tua luz e tua paz cheguem até nós em forma de bênçãos e de pensamentos inspirados. Que possamos dar início à nossa reunião. Assim seja!*

*Apresentação do palestrante:*

O Centro Espírita Léon Denis iniciou um trabalho de creche há 15 anos. Nesse trabalho, evangelizamos crianças de 0 a 2 anos. Estou a frente desta tarefa durante esse período, seguindo a orientação dos espíritos dirigentes da casa.(t)

*Considerações iniciais do palestrante:*

Evangelizar crianças, nesta faixa etária, é um trabalho de amor, carinho, dedicação e, principalmente, sentimento materno, pois estamos iniciando uma tarefa de continuar a evangelização que já é feita no mundo espiritual. O trabalho de evangelização na creche busca alicerçar os conceitos doutrinários para o espírito recém reencarnado. (t)

*Perguntas/Respostas:*

[1] Com que idade e de que maneira a evangelização de bebês é feita?

Conforme foi dito, iniciamos a evangelização aqui em nossa Casa a partir do nascimento e, no caso dos bebês, vai até os 2 anos. A evangelização, primeiramente, harmoniza as crianças, através da prece, depois iniciamos a evangelização propriamente dita, contando histórias, com a linguagem apropriada a idade deles e num tempo coerente com sua capacidade de atenção.(t)

[2] Até aonde o espírito do bebê compreende as informações transmitidas pelo evangelizador?

Ele relembra as informações que ele trouxe do mundo espiritual, reavivando os conceitos já iniciados. (t)

[3] Quem faz a evangelização de bebês: o evangelizador do centro espírita ou os pais (a mãe) do bebê?

O evangelizador faz a evangelização no CENTRO Espírita, mas cabe aos pais (espíritas) darem continuidade aos conceitos doutrinários, em casa.(t)

[4] Como sabemos, na prática, se os conceitos estão sendo assimilados?

Nessa etapa reencarnatória, a evangelização apenas fixa os conceitos que ao longo dos anos terão seus frutos.(t)

[5] Já houve casos em que você percebesse repulsa do bebê aos métodos da evangelização?

A repulsa aos métodos, não, pois o trabalho é adequado à faixa etária, e os envolve com muito carinho mas, em algumas crianças, observamos a rejeição a evangelização, através do choro e da inquietação.(t)

[6] Sabemos que o espírito, mesmo ainda no ventre materno, é receptivo a tais recomendações. Há como verificar/avaliar se esses ensinamentos realmente influíram no comportamento dele, após o nascimento? Ou será preciso iniciá-lo nas evangelização continuada para que haja um aproveitamento?

Não há como avaliar diretamente, mas podemos observar que as crianças , desde o ventre materno, que recebem evangelização e passes, tornam-se mais tranqüilas, mas sempre será importante dar continuidade aos conceitos doutrinários espíritas durante toda a existência.(t)

[7] Já houve oportunidade de pais procurarem o evangelizador, relatando mudanças no comportamento do bebê, após ter tido contato com a evangelização?

Sim. Este é um acontecimento freqüente, pois a criança que recebe evangelização constante torna-se mais tranqüila.(t)

[8] Esse tipo de evangelização certamente continua o processo de adequação do espírito a reencarnação, iniciada ainda no plano espiritual, certo?

Certo, o trabalho da evangelização de bebês consiste em dar continuidade ao trabalho iniciado no departamento reencarnatório.(t)

[9] Há crianças que demonstram ter consciência da vida passada, durante a evangelização?

Sim, quando assimilam facilmente os conceitos que recebem e participam, dialogando com o evangelizador, demonstrando que estão entendendo o que lhes está sendo ensinado.(t)

[10] O evangelizador encarnado tem noção, geralmente, desse fato(em relação à questão 8)?

O evangelizador espírita tem esta noção, porque sabe da existência do mundo espiritual e do trabalho que é feito pelos espíritos. Esse conhecimento é pré-condição da formação do evangelizador.(t)

[11] Nesses quinze anos no CELD, constatou-se alguma mudança no perfil psicológico dos bebês que iniciam a evangelização?

Sim, percebe-se uma mudança, pois a criança torna-se mais tranqüila, pacificada.(t)

[12] De que forma o tratamento de passe para a gestante, serve como primícias de uma evangelização para o bebê?

Recebendo os passes ainda no ventre materno, o espírito reencarnante sente o apoio, através das vibrações fluídicas, pacificadoras, que fazem com que ele tenha mais segurança na nova existência corporal.(t)

[13] Existe alguma especificação do tipo de ambiente para esta evangelização? Deve ser sempre em um centro espírita?

Sim, é importante um ambiente harmonioso e tranqüilo, mas não necessariamente precisa ser em um centro espírita. Pode ser em casa, mas em um local apropriado (harmonizado).(t)

[14] A gestante que permaneça nos trabalhos mediúnicos do centro que freqüenta, estará auxiliando ou prejudicando seu bebê, pensando em evangelização, no caso?

O trabalho no Bem sempre fortalece, ampara e sustenta qualquer colaborador. No caso das gestantes, o espírito é igualmente beneficiado, pois estará sob a proteção dos espíritos que conduzem a casa.(t)

[15] No lar, como devemos praticar a evangelização com nossos bebês?

Reservando um momento em que todos os familiares se envolvam no objetivo a ser alcançado, ou seja, o ambiente deve estar tranqüilo, silencioso, de preferência fazendo o culto do Evangelho no lar (uma vez por semana, em dia e hora predeterminados).(t)

[16] Os passes aplicados na gestante não alcançariam também o bebê? A evangelização dela, assim, não beneficia também o espírito reencarnante?

Esta questão está respondida, quando da pergunta 12. Caso você não a tenha disponível, peça ao Moderador uma cópia. (t)

[17] Perdão pela insistência no assunto, mas desejamos deixá-lo claro. Pode, por exemplo, uma gestante freqüentar os trabalhos de desobsessão? Caso positivo, estará o bebê aproveitando esse trabalho de alguma forma?

Sim, depende da médium. Se ela sentir-se bem, e tiver confiança nos dirigentes da Casa, poderá trabalhar sem medos. O bebê, nesta hora, estará envolvido pelos amigos espirituais, não recebendo nenhuma interferência dos espíritos atendidos. Ele estará neutro neste momento.(t)

[18] Existe diferença em evangelizar crianças carentes?

Não existe. O trabalho deve ser feito de igual forma a qualquer criança, talvez modificando a linguagem, se necessário.(t)

[19] A massagem ayurvédica (em moda junto a muitos terapeutas) poderia fazer as vezes dessa evangelização (com as devidas ressalvas)?

Nada substitui a evangelização.(t)

*Considerações finais do palestrante: *

*Evangelizar crianças desde a tenra idade é estimular a sensibilidade do Espírito que, no futuro, terão os seus frutos. O carinho, o envolvimento do evangelizador na pacificação e na confiança é de grande valia para que o espírito dê prosseguimento à sua caminhada terrena.(t)*

Nenhum comentário:

Postar um comentário