quinta-feira, 15 de julho de 2010

PALAVRAS DE VIDA ETERNA - ESTUDO 37

"Reparemos nossas mãos"
"E Jesus, estendendo a mão, tocou-o, dizendo: quero;
sê limpo".
(Mateus, 8:3)
A citação acima refere-se a passagem, onde um leproso pede para ser curado, e Jesus com a imposição das mãos, cura aquele homem da lepra, que naquele tempo era calamidade, pois, os leprosos eram obrigados a viver isolados, longe da convivência com os familiares.
Esse ensinamento deixa claro o quanto as mãos são importantes, a responsabilidade que representam, e o quanto podem ser úteis, quando bem direcionadas.
Devemos ter a preocupação de estender as mãos para fazer o bem, pois, já as estendemos muitas vezes para praticar o mal.
Se estendendo para o mal, já sabemos qual será o efeito, estendendo-as para o bem o resultado será de auxílio, bênçãos para quem oferta e para quem recebe.
Se acreditamos na imortalidade, não há como ficarmos parados, lamentando dores pessoais.
Busquemos a renovação através do trabalho ao próximo utilizando as mãos, deixando que elas enxuguem o pranto dos que sofrem mais do que nós; que ofereçam o remédio ao que está enfermo; o passe salutar, a mão estendida em oferecimentos de amparo, ajuda, na proposta de caminhar juntos, detalhes que se não realizam as curas como Jesus, constituem-se como maneiras de despertar o outro na ternura, no gesto que anima e sustenta.
Forças do bem e do mal se manifestam através de nossas mãos. Temos no mundo, as mãos iluminadas que estendem o amor, paz, trabalho e alegria.
Há mãos que sustentam a lavoura e o jardim, produzindo alimentos e felicidade; mãos que honram a indústria e realizam o progresso; que ajudam na Educação; mãos que curam na Medicina, muitas são as mãos que se abrem generosas possibilitando o progresso, o reconforto, tranqüilidade e alegria, enquanto há aquelas espinhosas, que espargem ódio e desespero, a preguiça e o sofrimento, que se entregam à miséria e ao vício, ao lado daquelas primeiras que acariciam, que levantam escolas e hospitais, templos e lares.
Jesus deu o exemplo para que nossas mãos aprendam a servir à luz do bem, construindo na nossa própria felicidade, a paz e o bem estar do outro.
Com as d'Ele curou os doentes, socorreu os fracos, amparou os tristes, limpou os leprosos, restituiu visão aos cegos, levantou os paralíticos, afagou os idosos e deserdados, abençoou a todos.
Nas civilizações primitivas, a agilidade das mãos em fazer e desfazer coisas fez com que acreditassem que elas tinham poderes misteriosos. Só mais tarde elas serão entendidas como meios através dos quais, as energias do Espírito são através delas projetadas em energias de constrangimento ou bênçãos pelas ações do dia-a-dia, quando acalmam a dor, nas fricções; a pressão dos dedos estancando o sangue; ou retirando um espinho, o veneno de uma cobra, ou simplesmente acalmando, transferindo ao outro o bem que porventura já resida em nós.
Desde os tempos primitivos até hoje, a mão é o símbolo do fazer que nos leva ao saber, se soubermos dar boa direção a elas.
Reparemos, pois, que direção estamos dando às nossas mãos.

Bibliografia:
Obsessão, O passe, A doutrinação - J. H. Pires, pág. 40.

Maria Aparecida F. Lovo
Julho / 2004

MATEUS 8
3 Jesus, pois, estendendo a mão, tocou-o, dizendo: Quero; sê limpo. No mesmo instante ficou purificado da sua lepra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário